sábado, 24 de janeiro de 2009

CRÓNICA DE JANEIRO

.





Triunvirato de luxo



Começou o 4º Campeonato de quiz de cascata - 2009.
O primeiro com 18 equipas, apuramentos, 16 a participar em cada jornada. Alegrias, frustrações e casos típicos de um jogo de futebol já apimentaram o início.
Muitas caras novas distribuídas não só pelas novas equipas, mas também por algumas mais velhas. E até duas Santas não deixaram de estar presentes neste início de campeonato, "abençoando" como suplentes.
O primeiro comentário que se pode dizer desta primeira jornada é que, pela posição dos três primeiros, não parece que começou um novo campeonato.
A segunda que se pode dizer é que não me parece que vá haver muitas mais jornadas com esta classificação final.
Isto porque, se é verdade que os três primeiros do ano passado começaram no podium, não é menos verdade que este campeonato pode trazer uma nova era quanto à regularidade com que as equipas de topo chegam à final.
Posso enganar-me muito, mas duvido que o campeão deste ano, seja qual fôr, termine perto dos 100 pontos novamente. Se calhar, nem perto dos 90. Houve alguns sinais que me fazem pensar assim. Mas já os dissecarei. Para já, vamos ao início.




Digestivos, João? E chegávamos lá, nem a parte escrita saía direita por linhas tortas!

Ambités, Cavaleiros, Fónixs, Mamedes, Golfinhos, Laranjas, Nnapeds e Zbroings participaram num lauto repasto que fez valer bem a pena o dinheiro dispendido. Ao mesmo tempo, noutro lugar, os Espertalhos abriam as hostilidades com a primeira (e única até ver) mini-jornada de apuramento juntamente com as três novas equipas. Valentejanus, Liga dos Últimos e ainda os Frikadaellos derimiam nervosamente por um lugar na jornada que acabou a contendo para as três equipas. Isto porque a Comissão decidiu, e muito bem, mandar para casa o único irmão do Bordel que queria garantir um ponto sozinho, enquanto uma equipa de 5 elementos seria obrigada a debandar com as novas regras.
Embora eu continue adepto da meia-final mas não no próprio dia, não há nada como ter assistido, na prática, às consequências que um apuramento podia trazer de negativo. E assim, ao final da primeira ronda, votou-se para a troca directa do último da jornada. E até pode ser que os Defenestrados, que acumulavam o último da jornada com o facto de não poderem vir em Fevereiro, até mudem mais tarde de ideias, caso haja uma equipa a não confirmar a presença.



Afinal sempre há medalhas!!!

Antes da jornada... as Medalhas! Os três primeiros campeonatos tiveram finalmente as ditas, com os segundos e terceiros lugares de cada campeonato também a receberem. Numa cerimónia muito bonita onde não faltou reportagem fotográfica, a consagração dos heróis chegou com os hinos das quatro nações envolvidas a serem escutados em pé, de mão ao peito, nas mais diversas línguas. Mamedes lá receberam as justas medalhas que lhes faltavam, Zbroings também pelo ano passado e até o Zé Pedro armou-se em Zé das Medalhas. Não vi serem entregues a dos Cavaleiros. Falha minha? É possível...


Excelência a quanto obrigas


Com menos tempo de preparação em relação ao ano passado, era quase forçoso que os Espertalhos não conseguissem a mesma excelência do ano passado. Uma prova escrita semelhante à de Outubro passado, mas um pouco inferior, teve a vantagem de ser para 15 minutos e com elementos para quase todos os gostos. Na cascata propriamente dita, só o 3º nível era de terceiro nível. A percentagem de perguntas deslocadas de nível nos dois primeiros foi um pouco mais elevada que o desejável, em relação ao pergaminho "espertálhico", bem entendido. De um 18 passam para um 14, na minha óptica. E não dou menos, porque os Espertalhos têm aspectos bem positivos na organização de um quiz. À cabeça, gosto do Sérgio a apresentar. Ganhou calo com a primeira e, apesar da jornada ter começado tarde, acabou às três da manhã. E com 16 equipas!! Rapidez, eficiência, clareza e determinação nas decisões que teve de tomar na avaliação dos casos complicados, levam a que esteja no meu Top-3 dos "apresentadores" (os outros são o Santola e El Comandante). Depois, os Espertalhos têm a preocupação de criar perguntas para quase todas as áreas e sub-áreas, mesmo que haja uma incidência ligeira sobre alguns temas. E, de um modo geral, as perguntas são bem formuladas, sem margem para erro. E já agora, não houve uma única pergunta de substituição no 1º nível. Mas, também isso pode querer dizer que as perguntas mais deslocadas fossem parar às mesmas equipas...



O príncipe D. Afonso? E ele é assim tão importante?

O sorteio colocou lado a lado, Mamedes e Fonixs. Que galo! Aliás, o sorteio pouco diferiu em relação à classificação de 2008. Os 7 primeiros classificados faziam uma corrente, desde a mesa 6 até à 14, com os Defenestrados e os Valentejanus a terem pouca sorte pois encontravam-se perdidos no meio desta floresta nas mesas 8 e 12! E os Ex-Defenestradores já começaram mal, ao ficar na última posição, justificando a mudança de nome.
A parte escrita teve Indomáveis (mais uma vez) e Zbroings a liderarem o concurso com mais oito equipas muito próximas. A precisarem de mais elementos de áreas diferentes, estavam as equipas que terminaram abaixo do 10º nesta prova, porque a situação inédita (por incrível que pareça!) foi que nenhuma delas conseguiu recuperar da escrita, a tempo de marcar presença no 2º nível.
Duas das três equipas do "reino animal": Golfinhos, Favaios e Co. mais Feios, Porcos e Maus acabaram por ir mais cedo para a casa, assim como a repescada Liga dos Últimos. Não conseguiram ter a pontinha de sorte que lhes permitisse melhores resultados. De resto, a média das directas não foi famosa, com muito poucas equipas a chegar pelo menos às 5. Os Indomáveis nisso foram reis porque acertaram em todas, no entanto cascatas... nem cheirá-las. Os Nnaped foram os únicos que conseguiram estar nos dez primeiros deste nível mas foram traídos na soma com a parte escrita. Não fosse as novas regras do último lugar e eles seriam a primeira equipa no lugar mais desesperante - 11º.

Os Fónixs acabavam o 1º nível no topo, logo seguidos dos Zbroing. Beneficiavam das mesas exteriores à corrente dos 7. A ter que recuperar estavam os Cavaleiros e também os Ursinhos, que ficavam abaixo do 6º. Os Ursinhos, a 3ª equipa do reino animal, foram os mais azarados no sorteio, pois foram os únicos que começavam a jornada ladeados por dois dos 7. Mas até os Mamedes não podiam descansar com a 6ª posição no final do 1º nível. Ainda haviam de fazer uma recuperação notável mas já lá chegamos.


Colapso de favoritos

O 2º nível foi durinho com orgias de cascatas, quase sempre nas mesmas equipas. Os Lais da Carangueja acabariam a sua participação com mais um pontinho, mas outras equipas com pergaminhos seriam totalmente surpreendidas aqui. Ambites e Indomáveis, os dois nemesis da Taça Uefa do ano passado pareciam ir de mãos dadas na fortuna e na desgraça. Após um primeiro nível de "nível" e a morderem os calcanhares dos dois primeiros, começaram a tombar de tal forma que só na última ronda de perguntas é que asseguravam a final, atirando com os BMV c/ Laranja para fora do comboio, isto numa altura em que eles os tinham chegado a ultrapassar. Desfalcados da Tita e do Filipe em plena lua-de-mel, o cocktail parece estar finalmente a alcançar a estabilidade desejada, que lhes permite aspirar a um melhor campeonato este ano. Com a organização em Fevereiro, vão reatar Março em mesas mais acessíveis.

Três grandes surpresas nesta ronda. Duas pela negativa. Os Ursinhos Bobó iniciam um ciclo pouco normal, falhando a 2ª final consecutiva, situação que já não acontecia desde Fevereiro de 2007. A única equipa que nunca (!!!) ficou no 1º nível desde Janeiro de 2007 , senão desde sempre (não tenho dados para 2006, mas parece-me que passaram sempre o 1º nível) parece estar a atravessar uma mini-crise de resultados.
Os Cavaleiros também reavivaram um espectro antigo. Depois de 4 finais consecutivas, começam este campeonato novamente fora da final, tal como em 2008. Necessitam rapidamente de ultrapassar os problemas ou arriscam-se a passar novamente ao lado da luta pelo título. Mas claro que ainda é cedo para isto tudo.

Mas a maior surpresa da jornada, embora nem tanto do campeonato, foi a nova equipa Frikadaellos. Antes de mais nada, perdoem-me mas não tenho neste momento condições para escrever correctamente o nome aqui na crónica, mas nas tabelas ao lado já está bem escrito, tal como me ensinaram. Abandonando o nome Chelsea FC, pois realmente não se enquadrava no espírito, obrigaram-me a investigar na net o que queria dizer. Não procurei muito, até porque as páginas eram em línguas perto de "chinês" para mim, mas pelo pouco que percebi, é um nome bem esgalhado. E afinal são mesmo outsiders fortes, dando razão a quem previu que ainda será mais difícil este ano chegar à final. Depois, de um primeiro nível à beira da eliminação, (a tal equipa abaixo dos Nnaped em pontos de 1º nível), pasme-se, até ganharam o 2º nível em conjunto com os Mamedes! Galgaram posições desde as primeiras rondas, que só não assumiu contornos mais chocantes, porque o atraso era grande. Não sei se vão conseguir manter esta qualidade exibicional. A melhor estreia de sempre no campeonato (salvo erro), e apesar de contar com alguns Ex-Zbroing, poderão não ter sempre disponível o melhor plantel, já que têm muitos "emigrantes". Mas algumas caras bem experientes justifica a, repito, glória do 4º lugar na estreia. Essa ninguém lhes tira. E contem com eles para o campeonato!


Homem latino mais rico segundo a Forbes: A múmia Otzi!


O 3º nível teve de tudo. Emoção a rodos com os três primeiros a acabarem com um ponto de diferença. E também o caso do jogo. Os Mamedes perderam a calma e até o fair-play inato neles. E por culpa própria e à custa duma brincadeira desnecessária, perdem a jornada.
Tudo começa com o Carlos Slim. Não foi aceite como resposta, dado que a organização só aceitava Carlos Slim Hélu, apesar de o senhor ser comummente conhecido com os dois primeiros nomes. O erro de se pedir primeiro e último nome, deu azo a confusões (e é verdade que foi a única nódoazita da organização, mas repito a palavra ÚNICA). Não me recordo quem ficou envolvido nesta pergunta. Interessa é o que vem a seguir. Pediu-se o nome da múmia encontrada em 1991 na Europa. O nome da dita é Otzi (com trema no "O"), que obviamente não começa por Carlos Slim. Apesar de na resposta dada pelos Mamedes (Carlos Slim Otzi), estar contida também a correcta, originou um protesto pouco normal nos Mamedes dado que a mesma não foi aceite, a meu ver com razão. E o argumento do "está escrito" confesso que já me começa a cansar. Posso escrever 70 nomes e escolher o correcto por sorte, que não justifica o estar escrito. Além que a prova escrita começa às "22h30" e acaba 15 minutos depois.
Digamos que a brincadeira não se leva a mal, e até admito que se podia ter sido menos inflexível. Mas por ter sido uma brincadeira e não uma resposta admissível, não se justificou tanto protesto. E, de certeza que, mais tarde a frio eles próprios perceberam que não era alturas para respostas em falso, nem exageros nos protestos.
E basta de polémicas que isto assim não dá saúde a ninguém.

Passando à frente, os três primeiros fizeram um concurso impecável, cada um no seu ritmo, e demonstraram que estão para se degladiar pelo 4º título da cascata. Os Zbroings acabaram por cair já na parte final, depois de terem estado sempre nos dois primeiros. Que desilusão para eles! O convívio com os Frikadaellos, no rescaldo da sessão, foi salutar e bonito de se ver. E provaram que afinal, não estão enfraquecidos, podendo até beneficiar de jogarem sempre com a mesma equipa, em vez das constantes trocas de elementos.

Os Mamedes estão iguais a si próprios. São os únicos com TGV capazes de recuperar de atrasos significativos ao final do 1º nível e alcançam o 2º lugar, beneficiando do desempate e só não ganharam pela questão já falada. São os principais candidatos à vitória final. Ainda e sempre.

E finalmente, a Ordem do Fónix. Os principais opositores dos Mamedes, arrancam a ferros a primeira vitória numa altura em que o balão quase se esvaziava (foi a equipa com menos pontos no 3º nível!) mas alcançam a serenidade necessária, afastando assim a crise de resultados menos bons. E é o primeiro líder. Não sei se este campeonato vai ter muitas mais equipas a empunhar esse facho. Seguramente que ainda irá haver alternância na liderança, mas para já são eles!













P.S.: Oh Zé Pedro! Eu sei que o emblema vai contra os teus princípios, mas não deixei de apreciar a ironia quando googlei o nome Fónix por imagens.



.

42 comentários:

  1. Interessantemente, e não referido na crónica, a resposta do Carlos Slim valeu os 2 pontos depois de a maioria das equipas se ter manifestado a favor pois "mostraram que sabiam". Aparentemente, este argumento ainda não cansa (e ainda bem). No entanto, parece que "mostrar que se sabe" só vale quando não se brinca. Ou quando não é importante para a classificação final. Se estivessemos num concurso televisivo, ou numa prova, ou em algo mais oficial, certamente não haveriam brincadeiras. Mas o Quiz é um jogo. Uma brincadeira. Um divertimento. Não é isto dito por inúmeros participantes nos blogues, quando se queixam da qualidade dos jogos? Que as equipas vão lá para se divertir?

    Admito-me muito decepcionada. Achei que os restantes quizzeiros estariam de acordo com a injustiça de a equipa que mais respostas soube não ter ganho. Tendo ouvido dos organizadores, sic, "eu sei que vocês sabem, mas como brincaram com a resposta não vou aceitar". Nunca tinha ouvido isto num quiz. Mas talvez as coisas tenham mudado.

    ResponderEliminar
  2. bem, estou fora do tema da Sofia, muito possivelmente ja tinha sido eliminado... mas quero aqui deixar mais um elogio ao Miguel na qualidade deste blog!!! es o maior!!!

    agora so quero saber qual é o simbolo da minha equipa... ainda nao o consegui descobrir... estou a ir por exclusao de partes!!!

    carlos Santola

    ResponderEliminar
  3. Caríssimo Quizadas

    Não é uma questão de "princípios", mas de "fim".

    Ao princípio, também eu fumava, mas, por fim, reconheci que o tabaco só me prejudicava, e mais aos outros que comigo convivem, por isso...

    Até gosto do boneco, e aprecio o sentido de humor.

    Quanto à jornada, considero que este jogo foi melhor que o do ano passado, mais equilibrado, agradável e com boa condução, incluindo nos casos mais polémicos.

    Para quem se lembra, não é a primeira vez que a diferença entre os dois primeiros é de um ponto; já nos aconteceu o mesmo que aos Fernandos Mamedes, com benefício, justiça e glória para eles.

    A talhe de foice, recordo que não andamos aqui para que outros percam, mas sim para ganharmos. E não somos ciumentos, pois o Quiz de Cascata foi divulgado na sequência de um convite pessoal que me foi dirigido pelo Miguel Júdice, que o realizava no seu restaurante; levei outras equipas, que até ganharam, quando poderia ter-me fechado em copas e abarbatado o prémio.

    Posturas...

    E que venha Fevereiro!

    Comandante
    A Ordem do Fónix

    ResponderEliminar
  4. Curiosidade.

    Na pesquisa de imagens, por "fónix", já viram qual é a primeira?

    ResponderEliminar
  5. isto assusta25/1/09 17:58

    Tira-lhe o acento e vê o que aparece em primeiro.

    ResponderEliminar
  6. Fui eu que respondi à pergunta mumificada, e não me escondi no "está aqui escrito": responder "Carlos Slim Otzi" não é o mesmo que escolher ao calhas um de setenta nomes --- é responder "Otzi" e anteceder com uma brincadeira. Como tal, não percebo a comparação do cronista.

    Quanto à frase "Mas por ter sido uma brincadeira e não uma resposta admissível, não se justificou tanto protesto." -- é precisamente essa a questão: se se admite uma brincadeira, quando a resposta está certa.

    Como tal, não me arrependo do que disse e protestei, ou do tom com que o fiz: a organização foi parvalhona em levar tão a sério algo que eu (outro parvalhão) penso que deve ser encarado com humor.

    O nosso fair play depende do fair play dos outros: enganos, emendas, palavras estranhas ditas assim-assim, tudo isso são ocorrências banais e que merecem tolerância e compreensão. Mas prejudicar uma equipa por não aceitar uma piada que antecede a resposta certa é uma prepotência voluntária.

    ResponderEliminar
  7. Mário Redondo (Ambité)25/1/09 23:10

    Pessoalmente, estive de acordo com a forma como a organização resolveu o imbróglio "Carlos Slim Otzi".
    Eu também achava, quando comecei a jogar quiz-cascata, que as coisas podiam ser mais leves. Mas a prática mostrou-me que não. Ao longo das muitas jornadas em que participei, assisti a variadíssimos momentos de rigor despropositado, excesso de zelo, intolerância, etc, etc. Já para não falar dos - felizmente menos frequentes - momentos de puro erro...
    Por isso, concorde-se ou não no campo dos ideais e dos princípios, a atitude certa a tomar é a de "manter o critério", como se diz de um árbitro de futebol.
    Ou há moralidade ou comem todos...
    Já vi respostas "mais certas" que esta não serem aceites pela organização.
    Repetir-me-ão que foi uma brincadeira. Em relação a isso estou à vontade, porque faço parte do grupo dos "parvalhões", como diz o Jorge, e estou sempre a brincar e a dar respostas humorísticas. Mas penso que há momentos para tudo, e formas para tudo. Momento e forma foram, neste caso, mal escolhidos, e a consequência tem de ser aceite de boa alma por quem brinca...

    Saindo deste episódio, quero dar também os parabéns aos Espertalhos por um bom jogo, divertido e equilibrado, e desejar a melhor sorte a todas as equipas, especialmente às estreantes.

    ResponderEliminar
  8. Ő da guarda26/1/09 14:27

    Atenção: o tabaco húngaro Főnix tem dois acentos no O. FŐNIX!!!

    ResponderEliminar
  9. polémicas à parte, ressalta (mais) um óptimo jogo dos Espertalhos e uma condução sóbria e correcta do Sérgio.

    não gostei tanto deste jogo como daquele que fez em 2008, mas continua muito, muito acima da média.
    nenhuma pergunta a dar a volta completa no nível 1, segurança e bom senso a resolver questões... polémicas.

    esteve bem em dar o braço a torcer no mexicano.

    quanto à múmia... uma nota apenas. Muito protesta quem marcou ponto com um alegado sítio na Turquia chamado de "Pamacalé".
    Qualquer coisa como dizer que a capital portuguesa é Lasbuá.

    se calhar... mereciam o ponto da múmia, não mereceram o ponto dos castelos-de-algodão. tudo somado... há justiça no resultado.
    mas não se preocupem... mais equipas haverá a ganhar este ano, não será sempre noite fónix.
    FB

    ResponderEliminar
  10. Os Cavaleiros não ganham desde Junho de 2007
    :(
    qual é o filme?

    A Maldição do Pascoalito

    ResponderEliminar
  11. Agora saltou-me a tampa!

    Em primeiro lugar, peço desculpas da forma como conduzi a crónica. Atei um rastilho sem necessidade nenhuma.
    Mas o meu pedido de desculpas acaba aqui.
    Quando eu faço rasgados elogios a vocês, em todas as crónicas, não espero o mínimo de reconhecimento. São devidos para quem os merece. Agora, porque emito uma opinião menos positiva e dura (admito) com intuito provocatório, (é verdade), é que saem do pedestal e vem para a praça pública, despeitados? Afinal, a brincadeira da resposta foi ou não foi provocatória, também? Preferia que me discordassem veementemente e de uma forma mais acalorada, que as vossa contra-argumentações, muitas delas falaciosas!
    Tal como aconteceu no Kalevala, episódio mais recente, a discussão foi acalorada e a pessoa em questão tinha toda a razão para ter reagido como reagiu. Mas e no momento? Vocês falaram nessa altura, em relação à troca das letras na resposta? Não me recordo. Portanto, a ser verdade que não falaram, não venham discutir fair-play.

    Eu disse que não me recordava das circunstâncias da resposta do homem da Forbes, e sinceramente agora que sei o que se passou, não vejo razão nenhuma para comparar as duas questões. Vêem? É a vossa opinião e aparentemente não é partilhada por muito mais gente. E que eu saiba, referi que houve um exagero na apreciação, mas como a tal brincadeira soou-me a achincalho (e não foi só a mim), mais ninguém se mostrou interessado em meter-se na conversa. O quiz é um divertimento? Claro que é e deve continuar a ser. Mas não deixa de ser competição. Para puro divertimento, vou para uma discoteca dançar, 6ª feira à noite.
    Quanto ao facto de a equipa que mais perguntas acertou não ter ganho, é para rir. Retiraram a vitória aos Fónixs e eu não soube de nada? Os Fónixs tiveram 23 respostas certas contra 22 vossas. Se quiserem acrescentar o Otzi, mesmo assim dá empate.

    Não te escudaste no "está aqui escrito", mas já o fizeste antes. Como deu tão bons resultados, porque não experimentar outra vez? É por isso que eu digo que o argumento me cansa. E diria de qualquer outra equipa. E já agora o cronista tem nome, ou pelo menos pseudónimo. Não é uma entidade diáfana. Quanto à organização parvalhona, não é da minha competência falar. Além do mais, as pessoas têm boca para se defender elas próprias. Mas se calhar, com essa palavra mais legitima o facto de eu ter achado que foi uma provocação e estamos todos a ser uns parvalhões. E como tal, no lugar dele também me acharia no direito de reagir da mesma forma, dado aos nervos que se geraram.
    Quanto às outras argumentações vossas são legítimas. Concorde ou não.

    Admitem-se muito decepcionados? Mais decepcionado estou eu!

    Desculpem todos, mas saltou-me mesmo a tampa.

    ResponderEliminar
  12. quando contamos apenas com a nossa esperteza, normalmente dá mau resultado...
    zg

    ResponderEliminar
  13. Que reacção exagerada, Quizadas... e extrapolação do que foi dito. Isso deve ser uma panela de pressão.

    (Achincalhante?!? Só se fosse para a múmia. Certamente não para a equipa que tinha acabado de receber os 2 pontos pela resposta)

    Só uma correcção: o empate dava a vitória pelo critério de desempate. Mas a questão não é essa, pelo menos para mim. Não é uma questão de um simples ponto, ou uma vitória ou um segundo. É uma questão de fundo do que é o quiz.

    De qualquer modo, tudo na vida é uma questão de opinião e perspectiva. E quando a minha está aparentemente em tal minoria, o melhor a fazer é simplesmente calar e retirar de cena. E não é despeito, é apenas tristeza. Adeus e bons quizzes.

    ResponderEliminar
  14. 1 - Quizadas, chamei-te cronista sem intenção nenhuma de desrespeito ou bocas ou seja o que for: muitas vezes uso a voz passiva também "Concordo/discordo com o que foi escrito", e só raramento digo "O Quizadas/outra pessoa qualquer disse isto e aquilo".

    Não te acusei de nada além de uma comparação escusada entre responder "Carlos Slim Otzi" e escolher um nome ao calhas entre setenta, e por isso parece-me uma resposta inusitadamente destampada.


    ****************************
    2 - Também não estou despeitado, senão dizia-o. Nem desci de pedestal nenhum onde estivesse antes. A Sofia está permanentemente num pedestal, onde a alimento a néctar e uvas, e massajo os pés com a parte lateral da língua (é mais suave). É preciso manter as gajas na ordem, claro está.

    Obviamente, se dizes bem dos Mamedes não me cabe agradecer, nem tu o quererias - e concordar com os elogios seria imodéstia e bazófia. E se querias ser provocatório, não é natural que discorde? Provocações do género "Você é bem bonito e simpático!" não costumam ser muito fracturantes...


    ****************************
    3 - Quanto ao Kalevala: não sabia a resposta antes e não me lembro da pergunta depois -- o que raio é isso?

    "Mas e no momento? Vocês falaram nessa altura, em relação à troca das letras na resposta? Não me recordo. Portanto, a ser verdade que não falaram, não venham discutir fair-play."

    E a ser mentira? Não me lembro se me solidarizei com o reclamante ou não. Acho que é uma questão de critério, e pessoalmente aceitaria a resposta. Perguntei aos restantes membros na minha equipa, alguns lembram-se de se ter insurgido e outros não.

    Se dizes que em geral temos fair play, então o saldo deverá ser positivo: mas não mantemos uma contabilidade de reclamações atendidas ou negadas. Em que é que isso nega o nosso direito a falar desta situação?


    ****************************
    4 - Sobre o suposto achincalho da minha resposta "Carlos Slim Otzi"... alguém nos Espertalhos era familiar do senhor? A que horas sucedeu a tragédia da mumificação? Os meus sentimentos à Sra. Otzi.


    ****************************
    5 - Quanto ao comentário do FB: "se calhar... mereciam o ponto da múmia, não mereceram o ponto dos castelos-de-algodão. tudo somado... há justiça no resultado." -- nem o Paulo Bento o diria melhor.

    Não tenho problema nenhum em dizer que corrigi o Pedro, que gritou Paxiloló em vez de Paxolulu, ou lá o que era. Algo que, com uma sala menos ruidosa e uma outra organização, nos poderia ter negado o ponto. E seria justo.

    Mas qual a relação com o que disse? Todas as equipas já foram beneficiadas ou prejudicadas pelas vicissitudes do jogo, de aproveitamentos de barulho a respostas mudadas, prioridades de quem fala, etc. E todas podem resmungar que assim e assado foi injusto e tal. Essa é outra conversa.

    No entanto, no caso mumificado o organizador tomou a escolha consciente de não aceitar a resposta porque tinhamos gozado com a pergunta. Isto é inédito e bastante diferente de uma questão de critério, confusão e etc. Ou não?


    ****************************
    6 - Dizes que "não te escudaste no "está aqui escrito", mas já o fizeste antes." Sim, e depois? Não sei qual a relação com a questão da múmia.

    Um aparte: muita gente recorre a esse argumento, e com razão: com o barulho, muitas equipas respondem bem e o organizador não percebe à primeira, e quando repetem são acusadas de estarem a dar várias respostas, aprimorar a fonética duvidosa, etc... Dizer que está ali escrito é apenas prova de que acertaram à primeira, quando à dúvidas.


    ****************************
    7 - Quanto à suposta parvalhonice, que é ao que tudo isto se resume: obviamente que me tentei armar em engraçadinho e a coisa correu mal -- medi mal os organizadores, lixei a equipa e por isso fui um parvalhão. Mas a organização sentiu-se achincalhada (ou lesada/gozada/etc.) com o que era uma piadola inocente (e sem grande piada) e decidiu no momento ripostar. Dai ter-lhes chamado parvalhões na altura (bastante mais acalorado que agora, como é óbvio).

    Não usei ofensas escatológicas (daquelas que não se podem escrever em blogs) antes e também não nego agora a parvalhonice -- acho que foi exactamente isso que foram. E, como escrevi, eu também.

    Eu mando piadolas para engrandecer o meu ego pequenino e achar que sou fixolas e tal - ou assim me disse a soutôra. A organização não aceitou a resposta para ser mazona e gritar que "connosco ninguém faz farinha" e etc. Ninguém é obrigado a achar piada a coisa nenhuma; mas reagir assim, flectindo o músculo e abusando de uma posição de autoridade, é prepotência quizística! Entre a minha piada em falso e o falsear da pontuação, acho que não fui eu quem mais pecou.


    ****************************
    8 - Para terminar: no final, muitas queixas haverá, e esperemos que o vencedor não precise de as contabilizar para justificar a vitória. Até lá, tentarei ser menos parvalhão a medir os interlocutores das piadolas, de modo a não prejudicar a minha equipa.

    ResponderEliminar
  15. Antes de mais nada, um enorme pedido de desculpas a todos, aos Mamedes em particular e ainda mais em particular ao Jorge e Sofia que foram os que levaram comigo.
    Sem querer ser minucioso com o que me devem ter respondido, a realidade é que nada justificava tanta birra da minha parte, muito menos o dia e a disposição com que estava ao fim da tarde.

    Vocês são obviamente boas pessoas. Mas tudo o que eu disse, fá-los parecer que acho o contrário, tenho plena consciência. E não é sobre isso que quis ripostar.
    Levei a mal não terem encaixado as críticas e afinal quem não encaixou fui eu, sou o primeiro a admitir.

    Desculpem-me, não volta a acontecer, com vocês ou outros, e peço que não dêem demasiada importância a este meu incidente, pois não a mereço.

    Um abraço a todos

    ResponderEliminar
  16. Sérgio Costa27/1/09 12:51

    Bem, se entre outras coisas é de parvalhões que se tem falado, não levarão a mal que eu me inclua na categoria voluntariamente e deixe também aqui uns bitaites. Começando pelo princípio:

    1 – O jogo em si - Aceito (e creio falar por toda a gente na minha equipa) que este não tenha sido tão bem conseguido como o último. A mudança do sistema de organização não nos foi benéfica (e continuamos a não concordar muito com ela), obrigando-nos a fazer em 3 semanas o que na época passada tínhamos construído com bastante mais calma. Sim, porque é possível fazer um quiz de cascata até em menos tempo, mas não como nós pretendemos. A falta de tempo, única desculpa, reflectiu-se nos desequilíbrios nalgumas perguntas de nível 1 e 2.
    Ainda assim, polémicas à parte, creio que continuou a ter a coerência e a diversidade necessárias para não transformar um quiz num massacre.

    --*--

    2 – A condução do jogo – A este nível, já sou eu que assumo responsabilidades. Como toda a gente tem personalidades diferentes, não sei se os meus colegas de equipa tomariam as mesmas decisões que eu. Como tal, nem é preciso referir “a organização” como essa entidade maléfica, mas pode mesmo ser o apresentador, esse grande otário, o responsável pelo que de bom/mau tenha acontecido nessa matéria.
    Ao longo do jogo tentei manter coerência, especificando o que queria, pedindo para repetirem quando não percebi a resposta, etc. Como é óbvio, na aceitação de respostas, o critério linear foi aceitar o que tinha escrito à minha frente, sendo que em excepções/polémicas/desvios/etc seria minha a decisão final de validar ou não.
    Em termos de pontos, contestações, vitórias e afins, todas as equipas me são iguais ao litro. Afinidades que possa ter com esta ou outra pessoa influenciam cerca de zero no decurso do jogo e mais ainda, eu não sei a pontuação, tirando quando a leio no final dos níveis e, por motivos de bateria, não disponho de memória fotográfica.

    --*--

    3 – As polémicas – Antes de mais, não sou facilmente susceptível, o meu ego não sofre mossas em quizzes e, ainda que possa parecer difícil a alguns, não levo isto muito a sério. Piadas, copofonia, algazarra, também acho que isso tudo faz parte de um quiz sim senhor, mas enquadrado num dado contexto, especialmente quando se está a desempenhar o papel de “apresentador”.

    No caso do mexicano, o “burrito” fui eu – Sempre conheci o senhor por Carlos Slim Helú. Não pedi três nomes (como tinha na resposta) e ao solicitar dois nomes (primeiro e último) cometi um erro, porque ele é sem dúvida mais conhecido por Carlos Slim do que por Carlos Helú. Tomando consciência disso, emendei a mão e atribuí os pontos a quem de direito (neste caso os Freakadellos, a quem a pergunta tinha sido feita directamente).

    No caso da múmia, a culpa é do meu critério de nível três (ou não) – Pergunta para os Zbroing, sobre o nome da múmia encontrada em 1991 na fronteira entre Alpes Austríacos e Italianos. Resposta falhada, segue a cascata. O Jorge dos Mamedes responde Carlos Slim Otzi, eu não aceito. Careta, rigor excessivo ou até parvoíce (quer de um lado, quer de outro)? As opiniões aí podem variar segundo o entendimento de cada um. A minha (que teve influência na matéria) é esta – Se sabes (ou achas que sabes) uma resposta, numa cascata de nível três, não inventes. Eu podia ter ouvido só o início “Carlos S…”, ter dito logo não e seguido a cascata. Não foi isso que aconteceu, mas segundo o meu entendimento não aceitei. Nem sequer foi uma questão de me sentir ofendido ou melindrado pela resposta, porque se a resposta certa fosse dada primeiro e depois feita a piada não havia problema nenhum.
    A questão é que inserir a resposta certa no meio de uma piada é um risco que se corre e não tem a ver com se ter mostrado que se sabe, mas sim com o critério de quem avalia. Já vi não serem aceites respostas que pecavam por ter uma sílaba trocada, já vi aceitarem respostas com patentes militares trocadas e já vi recusarem uma resposta porque apesar de se identificar a pessoa pretendida se usou o nome de casada em vez de solteira, isto sem procurar muitos exemplos. Portanto, não havendo coerência nessa matéria, é sempre o critério do organizador. E em casos de nível três, o meu humor (que até existe) é sempre secundário em relação ao meu rigor.
    Certamente este conceito pode ser atacável e cada um, nos jogos que organiza, utilizará o que quiser. No que toca a estas duas polémicas, creio que compará-las será forçado, até porque são coisas bem distintas no meu entender.
    Mas, vistas as coisas, pode fazer-se até uma analogia com esse idóneo mundo que é o futebol. Vai-se sempre discutir muito mais porque é que o árbitro marcou ou não penalty, do que porque é que o jogador se deixou cair na área quando podia ter marcado golo.

    --*--

    4 – Outros – Aproveito o testamento para fazer um pedido que a nós já não nos vai beneficiar nada, mas certamente pode ajudar outros organizadores. Os intervalos entre níveis de cascata deveriam ser para confraternizar, descomprimir, ir fazer o xixizinho da praxe e afins. Utilizá-los para ir fazer marcação cerrada à organização, quer reclamando de possíveis erros para além da normalidade, vir aludir a escabrosas teorias da conspiração ou protestar que X e Y são batoteiros é capaz de ser algo desnecessário. Toda a gente sabe que, no calor do jogo, nem sempre se vêem bem as coisas com clareza. Embora não me mexendo com os nervos, não é agradável e, se tiver mesmo de acontecer, é preferível que seja no fim do jogo, se ainda houver forças de parte a parte. Ou então nos blogs, onde é acrescido o bónus do anonimato.

    --*--

    Como sempre, no fim de qualquer jogo (seja quiz ou outras modalidades bem menos intelectuais) não guardo ressentimentos de qualquer espécia. E lá estarei para o mês que vem, já sem a capa de vilão-organizador.

    ResponderEliminar
  17. O momento mais alto desta 1ª Jornada foi sem dúvida no nível 3 , naquela questão de ténis em que o Paulo (Pirolito) dos Mamedes , mal ouve a pergunta , diz alto e bom som que tem um poster do jogador em causa e quando chega à vez da sua equipa responder, levanta-se, faz uma vénia e responde sem qualquer hesitação:Goran ivanisevic

    Um momento de antologia que faz com que este campeonato de Cascata seja um divertimento salutar e único para todos que neles participam.

    ResponderEliminar
  18. Paulo, que bem que falas na 3ª pessoa! Pareces ser um digno sucessor do Mantorras, Maniche ou do Jardel. :D

    ResponderEliminar
  19. Quizadas: não são precisas desculpas, faz parte do picanço dos blogues e tudo o mais. Quanto às minhas respostas, são apenas os meus argumentos, não insinuações sobre parcialidade ou coisas do género.

    Sérgio: continuo a discordar, mas admito que a medida da minha putativa indignação é proporcional ao efeito da coisa na pontuação final: se tivessemos ganho ou perdido por muitos teria sido muito menos vocal, obviamente.

    Exaltei-me e isso é sempre feio, mesmo com a desculpa do picanço do quiz. Espero que não fiques ressentido com a minha reacção, embora continue a discordar.

    Por último: falei da organização precisamente para não atacar o apresentador -- um quiz é um esforço de conjunto e os critérios são discutidos antes, e acho que as responsabilidades do que vai sucedendo devem ser atribuidas a todos, não só a quem tomou as decisões no momento.

    Quanto à comparação entre polémicas: não queria dizer que eram análogas, antes pelo contrário. O Quizadas alvitrou uma possível sensação de achincalhamento, em que (interpretei eu) estariamos a gozar ou ofender o vosso brio na resolução do nome do senhor mexicano, ao responder com a mumificação do dito. Estava apenas a ligar as duas coisas, e não era o caso.

    Ao fim ao cabo, a questão resume-se aos ditos critérios: tomei-os implicitamente como referentes apenas aos típicos "soletrar bem", "prioridade da primeira resposta", "resposta pronta numa cascata" e etc. A minha parvalhonice foi assumir implicitamente que a resposta correcta seria aceite, mesmo embrulhada numa piada óbvia.

    Concluo que não, que a opção rigor/palhaçada é também um critério -- e, nesse sentido, vocês têm o direito de optar, e eu de discordar. Isto não inibe uma constatação óbvia: eis mais uma manifestação do meu lendário sentido de inconveniência.

    Dito isto, gostei do quiz e apenas acho que pecou nos níveis de dificuldade: acho que o método de optimização Zbroing (acho que era deles) é excelente para avaliar essa questão.

    ResponderEliminar
  20. Bom, parece que afinal habemus blog. Fazia falta. Fico contente por ver que continuamos todos parvos, que gostamos de picardias e dos consequentes abraços. Sérgio se voltas a falar da merda do calendário bato-te. Não percebi o adeus Sofia. Não te atrevas a deixar de ir, o Jorge está sempre a ver-te no pedestal, mas eu, pobre mortal, só me encanto com tal beleza uam vez por mês. Não defraudes as expectativas de um geronte.

    Geronte Ex-Bigodes

    ResponderEliminar
  21. ele queria escrever gerente?

    se não queria o que raio é um geronte?

    ResponderEliminar
  22. Transtejo27/1/09 17:53

    Acho que Geronte até saiu no quiz, como barqueiro mitológico que levava pessoas não sei para onde. Cacilhas ou lá o que era...

    ResponderEliminar
  23. esse barqueiro era o Caronte

    :P

    ResponderEliminar
  24. Isto promete ....

    Vamos ver durante Fevereiro como é que correm os treinos nos bares.

    Mais novidades em relação aos locais dos treinos para breve.

    ResponderEliminar
  25. Isto está melhor que A Favorita...

    ResponderEliminar
  26. Senhores Anónimos, façam o favor de não comentar que o verdadeiro Anónimo sou eu.

    Anónimo do século XXI, escola da Ajuda

    ResponderEliminar
  27. Paulo Jorge27/1/09 22:38

    "Paulo, que bem que falas na 3ª pessoa!"

    Só agora que leio isto é que me lembro que houve uma resposta que era Goran Ivanisevic! Não me lembro da pergunta.

    E não é um poster, encontrei-o em Paris e ele pediu-me para tirarmos uma foto juntos.

    ResponderEliminar
  28. Paulo: "ele pediu-me para tirarmos uma foto juntos"? Agora sim falas na terceira pessoa!

    ResponderEliminar
  29. Geronte: pessoa em idade avançada seus ignorantes gozões!

    Bigodes!

    3ª continua a haver quiz no lizarran, pelo menos no dia 3 de fevereiro!

    ResponderEliminar
  30. Anónimo (um dos falsos)28/1/09 22:03

    Bigodes?
    Estás a deixar crescer?
    FOI ISSO QUE LIXOU OS CAVALEIROS!
    Qual sansão cortaste a fonte da tua sabedoria!
    Toca a deixar as pilosidades crescer! Queremos campeonato!!!

    ResponderEliminar
  31. Anónimo triste e decepcionado29/1/09 00:14

    Isto sem os comentários à "la calimero" da Sandra Sofia não é a mesma coisa...

    "admito-me muito decepcionada... It´s not fair... sigh* sigh*"

    Jeezazz, get a life (and rest your snobish case)

    E isto chega ao post 31 por causa da choradeira!!! Unspeakable.

    ResponderEliminar
  32. 31, não, 32, caro anónimo. Não há nada como um número tão dentário.

    ResponderEliminar
  33. Diga 33!!!

    Já acabou a funmarada?

    ResponderEliminar
  34. Coincidências extraordinárias29/1/09 12:48

    Não é verdade? E todas as peças encaixaram!

    Ass: Grande piscadela de olho :)

    ResponderEliminar
  35. Mas vocês estão a falar de quê, cum camandro?

    ResponderEliminar
  36. É preciso ser um agente secreto para descobrir...

    ResponderEliminar
  37. Goran Ivanisevic30/1/09 03:28

    "E não é um poster, encontrei-o em Paris e ele pediu-me para tirarmos uma foto juntos."

    Caro paulo, muito obrigado por ter acedido a tirar uma foto na minha companhia a meu pedido.Agradeço-lhe ainda as lições de portuguÊs que me deu a troco de morangos com natas.

    ResponderEliminar
  38. Depois de voltar da lua-de-mel vim com curiosidade ver como se tinham portado os nossos BMV c/ Laranja (que conseguiram um honroso 7º lugar a 1 ponto da final) e deparei com esta bela história. Sim senhor, não pode um homem ir de férias que estes 80 adultos deixados sozinhos fazem esta bela figura. Como metediço que sou não podia deixar de mandar o meu bitaite. É que com toda a sinceridade fiquei pasmado.

    Sem ter estado lá, pode-me me estar a falhar algo, pela crónica e pelos vossos completos comentários, parece-me surreal.

    Miguelito, tenho muito carinho por ti, mas desta vez, claramente estás-te a passar. És quase um bébe dos quizzes e anda-te a falhar o espírito do jogo. (não te posso elogiar sempre).

    Gostei muito do quiz anterior dos espertalhos, mas não considerar esta (mais que) óbvia brincadeira como resposta certa vai ter lugar nos anais (eu sabia que esta palavra vinha a propósito) do quiz. Não percebo tanta hipocrisia. Então e se os Ursinhos respondessem Carlos Manuel Otzi, também não percebiam a brincadeira? Então e quando eu respondi que "foram os gajos que chinaram o D. Carlos" não perceberam a brincadeira (que eu saiba nenhum chino=faca foi usado)? Epah... meus meninos, (todos os 80 e tal) desta vez fizeram o chamado cócó. (mais uma vez os anais).

    ResponderEliminar
  39. O Dom Carlos era o que montava o Martin Landau, não era?

    ResponderEliminar
  40. Grande Filipe! A chamar os bois pelos nomes!
    Não percebes que isto foi a nossa prenda de casamento para vocês?
    Além de que isto aquela aldeia irredutível que resiste e sempre ao jugo dos romanos. Passam a vida a discutir, mas no final acaba tudo bem.

    Agora mais a sério, preciso do teu mail (ou da Tita) e também o do Vitoriano. Mandem para o quizadas, deve estar algures no blog, não sei onde. Urgente!!!

    Abraço

    ResponderEliminar
  41. Festa é festa!

    E para quem não saiba, Tó Pascoalinho e (Ex)Bigodes aniversariam hoje.

    Parabéns aos dois!

    ResponderEliminar
  42. Anónimo1/2/09 18:06

    a tita girão tn faz anos!

    bigodes

    ResponderEliminar

Mostra o SunTzu que vive em ti e comenta com garra.