domingo, 22 de fevereiro de 2009

CRÓNICA DE FEVEREIRO

.



Indomáveis, HAPPY!





Se considerarmos a Ordem do Fónix como herdeira dos Fósseis, era preciso recuar até Outubro de 2007 para uma estreia em vitórias, na altura os Zbroing.
Após 6 idas ao podium, à 7ª foi de vez que a 7ª equipa do ano passado fosse a 7ª da história a ganhar um "grande prémio". E de que forma! Quase nunca se dá por eles, muito low profile, em pezinhos de lã treparam posições até chegar à penúltima questão do jogo e arrumarem de vez com a jornada. Já nem o pontozinho dos Cavaleiros na questão final chegou para retirar a glória aos Indomáveis, SAD que pelo menos por um mês, bem justificam o trocadilho do título.
Senão vejamos. Após liderarem na parte escrita, nada de mais lógico nos últimos tempos, tremeram no nível 1 com quatro directas e 0 cascatas e caem para o 7º lugar. Mas a meio do 2º nível seguiam segundo e terminam-na em terceiro, a três pontos dos dois líderes. Agarram a liderança a meio do 3º nível e por muito que os Cavaleiros esticassem o pescoço, seguraram bem a vantagem ínfima. A glória tantas vezes adiada chegou. PARABÉNS!



PYGMALEÃO

Não foi uma organização consensual. Como em todas as jornadas, quem se fica pelos primeiros níveis não gosta, quem vai mais além do esperado gosta muito. Estou nos que ficaram na primeira situação. Por muito imparcial que deva ser (nem sempre como devia, admito), tenho de frisar que, mais do que em qualquer crónica escrevinhada por mim, esta é uma opinião pessoal.


De um modo geral, as equipas tendem a ir buscar temas que lhes são caros. Perfeitamente compreensível. Tem sido aliás uma regra e muito poucas foram abrangentes e equilibradas no que ao tratamento dos temas diz respeito. No fundo, o dever de cada equipa enquanto participante, é equilibrá-la com elementos necessários, de molde a cobrir uma gama variada de temas. Embora como é óbvio que, não sendo isto uma federação, o nosso âmbito de recrutamento torna-se reduzido porque depende das nossas vidas pessoais.

Antes de prosseguir, peguemos num aspecto que me chamou a atenção na entrevista dos BMV c/ Laranja:
"- (...)enquanto que na cascata muitas equipas optam por temas mais modernos nas primeiras fases e encaram o último nível com temas diferentes. Se houvesse equipas que no terceiro nível optassem por dificultar os mesmos temas em vez de se voltarem para temas que consideram mais dificeis, (...) uma ou duas equipas que por serem adversas a determinados temas, acharem que não são intelectuais o suficiente, ou talvez por não os dominarem, restringem-se aos temas que conhecem, e é aí que surgem os quizes mais repetitivos com demasiadas perguntas muito restritivas."

Este parágrafo dos dois BMV toca numa ferida complicada, que é a gestão dos temas. Embora não concorde com alguns aspectos desta análise, sobretudo porque os organizadores até dificultam os mesmos temas (e não só no terceiro nível) somos forçados a admitir que há temas universais que são aflorados de uma forma básica, quando não deveria haver justificação para isso. Não vou, nem tenho interesse nisso, dissecar o que não se abordou. Mas falo do que se abordou e do tipo de perguntas. Houve uma tentação (afinal são perto de 200 perguntas!) de se pedir muitos nomes de coisas. É complicado gerir o pedido de nomes, sobretudo quando na nossa vida, o que se fixa é o que se discute e o que se "vive" e não o que se ouve "en passant". Dois exemplos no 2º nível (que não foram respondidos): o artista checo que foi responsável pela fraude da exposição, no âmbito da presidência da união europeia. O senhor chama-se David Cerny. Ouvir falar disto, sim senhor. Querer fixar o nome... não sei se teria essa vontade. A pergunta feita ao contrário seria igualmente difícil, mas já premiava quem soubesse do que se tratava. Outro exemplo pode ser o 1º satélite iraniano. Saber que eles lançaram, é uma pergunta legítima. Já o nome do dito... a menos que me tivesse escapado qualquer coisa, não vejo que fosse importante fixar.

No fundo, o que eu quero dizer é que, onde os BMV "pecaram" não foi nos temas. Foi no tratamento geral da própria exposição delas. Sobretudo, na preocupação em equilibrar as perguntas para cada equipa. O que acaba por contradizer um pouco o que eles próprios disseram e gerou frustrações em muitas das equipas.

Dou mais um exemplo. Que não é de molde a justificar a péssima actuação dos Ambite mas pode ajudar a explicar em que é que uma falta de cuidado em equilibrar as perguntas para cada mesa, faz a sorte ser fundamental numa jornada.

1 - A coima máxima da lei do tabaco
2 - A rádio do passatempo "quem der menos, leva um carro"
3 - A 1ª visita de Hillary Clinton
4 - Núcleo antigo das cidades árabes
5 - Ok Teleseguro fala a Marta, e no ikea? (E quem nunca lá foi?)
6 - O 1º leite materno - A única que acertámos.

Resultado: Três fait-divers e uma actualidade que não pode ser considerada de importância política (daqui a uns tempos, a 1ª ida da senhora será irrelevante em termos políticos). Não tenho dúvidas que os Fónix também estariam eliminados nesta mesa. Quem aprecia erudição, sente-se danado com uma distribuição destas, quando outras perguntas de fácil acesso ao público, aparecem nas mesas exactamente ao lado. Não sou contra o fait-divers e tem sempre graça para muitas equipas, embora pessoalmente detesto. Mas três?!!!

Num quiz cheio de literatura, cinema, música e outras artes, política internacional de século XX, não havia nada para a mesa 6 neste temas? Teria trocado lindamente de mesa com quem se queixou que eram só estes temas!


Passado este momento (suspiro) gostava de falar sobre a história do "é o que estiver escrito no cartão". É uma estratégia. Ajuda e bastante para controlar a multidão em fúria em questões mais complicadas. Mas tem dois enormes inconvenientes. Para começar, provoca uma sensação de insegurança em quem responde, dado que sabe à partida que não há flexibilidade em respostas que poderiam ser flexíveis, mesmo sabendo do que se trata. E, para além disso, muitas vezes ajuda a mascarar (não estou a dizer que foi o caso, note-se) a falta de profundidade em perguntas que se vão buscar aqui e ali, porque se leu umas frases sobre o género. Como gerir isto? Na minha opinião, quem tem o quiz bem preparado não necessita deste artifício. É verdade que a preparação de um quiz requer tempo. No caso do Filipe e da Tita, são os que podem afirmar com mais legitimidade que não houve tempo. Quem se casa, tem outras coisas com que se preocupar. Mas então, não havia mais pessoas que, durante esse tempo podiam-se debruçar sobre esse assunto? Ou se calhar foi alguma gestão menos conseguida em relação às tarefas delegadas... Não sei.

Para quem já é a terceira vez que apresenta, houve uma rigidez estranha ao qual, sob o risco de estar a ser injusto, pode-se associar à sensação de insegurança de não ter as coisas como se devia ou queria. Num quiz bastante desequilibrado na gestão das mesas e dos níveis, acabou por ser o 3º nível o mais bem conseguido, segundo o consenso geral. Mesmo dando de barato o presidente do COI e que o Filipe se penitenciou. (Todos têm estas pequeninas falhas num terceiro nível).



Em conclusão, já assisti a quizes bem mais desinteressantes que este, que bem vistas as coisas tinha bastantes focos de interesse. Mas na minha opinião, não basta ir ao supermercado comprar os ingredientes. Quando se convida alguém para jantar, o convidado espera que os donos da casa tenham estado na cozinha a preparar o jantar. Qual não foi o meu espanto quando vi os ingredientes crus em cima da mesa.






Not so "Famous Five"



Com uma parte escrita acessível para a maioria (e curta! Finalmente alguém que cumpra a máxima de uma figura, um ponto), os Indomáveis e uma grande surpresa da jornada os Lais da Carangueja foram os vencedores. Em orgia de pontos, quatro equipas haviam de se espetar à brava aqui, de tal forma que quem passasse pelas mesas deles no caminho da casa-de-banho, não aprenderia grande coisa. Três haviam de recuperar lindamente e só uma é que caiu numa cratera e nunca mais se viu: os Ambite! Se no mês passado, andou de mãos dadas com os Indomáveis quais gémeos, desta vez foi separado à nascença. E qual Zeus e Hades, viu um ascender ao Olimpo enquanto que o outro mergulhou no inferno! Literalmente à "beira de um ataque de nervos"!


De resto, já em cascata propriamente dita, os outros nomes dos "not so Famous Five" também não encontraram a Ciganita nas Montanhas de Gales a visitar o Lago Negro. Num 1º nível com média de quatro directas, em que de um modo geral, quem não acertava via ser respondido logo a seguir, os Nnaped e os Golfinhos tiveram um ataque de onicofagia quando nem uma cascata viram, podendo também queixar-se um pouco da sorte. Os Frikadælløs, após uma estreia de leão, desta vez saíu de sendeiro e quando a porta do 2º nível se fechou, os Espertalhos quase tinham o mesmo destino do Martim Moniz. E se não fosse a escrita os Indomáveis tinham ficado aqui também, reescrevendo a história da jornada!

Quem assumia o comando nesta altura era os Mamedes. Mas a um ponto estava Fonixs, Carangueja (é verdade!) e os Cavaleiros que faziam uma recuperação notável após o desastre escrito e ganhavam o 1º nível isoladíssimos!



O que grita um jogador de Rugby? AAAAAAAAAAAAH!

O 2º nível definiu o podium. Com 6 equipas a fazer 4 pontos ou menos(!) e o máximo de três directas (e em duas equipas) as cascatas foram fazendo a diferença para quatro delas. Respostas como Iran Costa ao satélite iraniano iam descontraíndo a orgia de cascatas. Só 12 deram a volta, mas só 13 foram directas.

Nestas circunstâncias, para além dos Indomáveis que viriam a ganhar o nível em conjunto com os Cavaleiros (estes assumiriam o 1º lugar) só os Feios, Porcos e Maus vieram de trás para a frente a tirar lugares ao pessoal. E o "pessoal " foi mesmo a estreia neste ano da Irmandade do Bordel, ex- Mineteiros que desde Setembro não conheciam a cor do 2º nível. Também os Valentejanus viriam a ter uma noite gloriosamente inglória. Cairiam para o sétimo, depois de um brilhante 1º nível (segundos!) e cotam-se como mais uma equipa a ter em conta para o futuro, como aliás quem estivesse atento em Janeiro já desconfiava.
A última das novas equipas também sorriu esta noite. A Liga dos Últimos atingiu o 2º nível e prova aos restantes que este ano é mesmo durinho para todos.

Que o digam os Zbroings. Esta noite não foi deles. Qundo o desaire lhes sucede, habitualmente eram os primeiros a ficar à porta. Só que os rookies já mostram os dentes aos pros!


A nossa vila - Cascatá

Com uns Mamedes em curva descendente muito pouco habitual e a caírem para o 3º lugar e uns Fonix que bem podem agradecer a primeira parte pelo facto de fechar a cauda da final, os protagonistas desta jornada foram outros. Que me perdoem estas duas enormes equipas, habitualmente protagonistas das crónicas, mas o nosso Canadá cascateiro fica mais interessante com as tendências expansionistas na tabela. As restantes quatro equipas da final merecem todos os elogios deste mês. A começar pelos Lais da Carangueja. Terminam na sua melhor classificação de sempre e nunca estiveram em causa para a final, desde o início. Muitos Parabéns!

Ainda mais brilhantes foram os Feios, Porcos e Maus. Subiram a pulso de um atraso enorme e alcançam o 4º lugar, o seu melhor de sempre. Uma equipa em que mais de metade das participações são finais, só lhes falta mais consistência e jogarem mais vezes com 5 elementos para chegarem a um merecido podium. Desta vez ficaram à porta. Mas está quase.

E os Cavaleiros? Benvindos à luta do título! Foram impressionantes nesta jornada. Uma parte escrita nos últimos lugares, recuperaram a galope vencendo os dois níveis intermédios, o primeiro deles de forma esmagadora e foram os únicos que estiveram em jogo até ao final. Um brilhante segundo, mas que também não seria injusto se tivessem sido eles a ganhar.

Só que a noite era mesmo Indomável!












.

.

E agora a polémica do mês: Por ser parte interessada, não vou pronunciar-me em demasia. Mas o que aconteceria se tivessem faltado três ou quatro equipas? Se os Ambite (ou outra equipa) tivessem ficado em 12º embora em último? Seriam convidados a ficarem de fora, quando quatro equipas, independentemente da justificação, não tinham aparecido?

Por outro lado, se a regra da troca do último lugar é inibidora para uma equipa desfalcada em determinado mês, não é preferível deixar de comparecer, pois arrisca-se a ficar em último de qualquer forma? Há demasiadas circunstâncias que não foram previstas nestas situações. Pessoalmente, gosto que a cascata tenha mais equipas. Mas acho esta regra de troca directa tremendamente penalizadora para qualquer equipa. Se se admitiu o alargamento para 18 porque razão não jogam as 17 ao mesmo tempo e uma organizadora?

À vossa consideração



P.S.: Um grande agradecimento ao Vitoriano por ter proporcionado as fotos do podium!

.

57 comentários:

  1. Com mais tempo vou responder às críticas neste texto, que de crónica passou a lamechismo pegado de quem fez metade do seguinte classificado, e que, caso não tenham reparado nas folhas que vos entreguei viram as duas equipas vizinhas rir-se ao colher imediatamente os pontos de três das perguntas de uma equipa que cito "nunca foi ao IKEA". Penso que os Fonix na vossa mesa, além de terem feito o dobro da vossa pontuação na parte escrita, teriam feito bem melhor, duvidando eu que eles não tivessem visto o telejornal nas últimas duas semanas, ou que o zé pedro ou o filipe bravo nunca tivessem lido o aviso anti-tabaco afixado em todas as portas dos estabelecimentos comerciais deste país, ou que o Alexandre respondesse rádio popular (que eu nem sabia existir) a uma pergunta que qualquer equipa viria praticamente como um 50/50 entre a RR e a Comercial. Acho que ainda vos falta um "pouco" para a comparação com os Fonix. Mas sim, se o quiz fosse só sobre musicais dos anos 60 vocês eram os maiores, e sem faits-divers como política, rádio, IKEA ou ciência. Mais tarde respondo à crítica sobre o quiz em si, e não às lamechices, nomeadamente o nosso pouco "esforço" ou a regra do que está escrito no cartão que uso por "insegurança" e defendo, como vários outros, há muitos anos e desde o primeiro Quiz. Também quero ler os comentários das "várias equipas" que se queixaram a ti de terem recebido muitas perguntas injustas no nível 1, pois tivemos um feedback bastante positivo até agora, e todos, menos uma mesa de beicinho me pareceram até bastante divertidos.

    ResponderEliminar
  2. É a tua opinião à minha crónica.
    Eu mantenho a minha em relação ao vosso quiz.

    ResponderEliminar
  3. Paulo Jorge22/2/09 19:54

    "Ok Teleseguro fala a Marta, e no ikea? (E quem nunca lá foi?)"

    Isto pode-se aplicar a quase todas as perguntas!

    E se perguntarem alguma coisa sobre o Churchill e quem deve responder nunca tiver ouvido falar dele?

    ResponderEliminar
  4. Vocês estão é todos nhonhós.

    Quero ver é como é que os ursinhos vão reagir à sua extemporânea retirada da próxima jornada..aaahhahhaha

    ResponderEliminar
  5. E esta?

    "As informações relativas à origem do nome da cidade de Spa na Bélgica consideram que SPA é um acrónimo de Salus Per Aquam, visto que a preposição “per” rege o acusativo." in Ciberdúvidas.

    Este é apenas um exemplo.

    Como "alguns" sabem, a língua italiana é uma das herdeiras do latim, utilizado pelos Romanos nos tempos em que, por exemplo, já havia "salus" em Vidago.

    Aceito o critério de só valer o que está no cartão, ou não jogaria, mas a realidade é que a maldita Wikipedia continua a fazer vítimas, e nós temos sido massacrados por esse poço de incultura...

    Comandante
    A Ordem do Fónix

    ResponderEliminar
  6. Carlos Tê23/2/09 08:38

    É só impressão minha ou o leitor de mp3 do Zé Pedro está em loop no "Não há estrelas no céu"?
    É que já não há paciência para o senhor!...

    ResponderEliminar
  7. Eu gostei do quiz, embora não tenha sido especialmente benéfico para os Mamedes (e a pergunta do sucessor do Ariane V teve um glitch).

    Não terá revelado a harmonia total entre temas (algo que a nossa equipa tenta fazer aritmeticamente), é verdade... Mas achei que conseguiram um quiz com personalidade -- embora não necessariamente equilibrado, não descambou em tourada ou religião como já se viu.

    Merry Carnival, oh oh oh!

    Jorge

    ResponderEliminar
  8. Exmo. Senhor Carlos Tê

    Reconheço que o facto de exercer uma profissão em que tenho de pugnar pela justiça me faça denunciar iniquidades e relamar quando existe prejuízo, objectivo. "Vícios" profissionais...

    Nunca me acomodei ao "que se lixe", à paz podre ou ao deixa andar.

    Quanto à função de sexta passada, fui o primeiro a felicitar o Filipe, logo no fim do primeiro nível e, como deixei expresso atrás, embora soubesse que a nossa resposta estava certa, não foi manifestada qualquer reclamação, ou protesto.

    Porque o Filipe merece o respeito de ter sido o único concorrente a reconhecer que, afinal, o quiz que organizávamos não tinha a tal resposta errada.

    E, já agora, quem se oculta por trás do pseudónimo, caro Tê?

    CMD

    ResponderEliminar
  9. Bom...
    Eu não assisti ao quiz todo, ao contrário do Miguel. Aproveitei a saída prematura para ir dormir mais umas horas, antes de ir discutir "Is Bruce Banner and the Hulk the same person" para uma aula de filosofia às dez da manhã...
    Também ainda não tive ocasião de carpir devidamente as mágoas com os meus colegas de equipa.
    Mas daquilo que vivi (parte escrita + nivel I) não partilho totalmente da opinião do meu companheiro e amigo.
    Acho que tivémos azar, ponto final.
    É um factor, feliz ou infelizmente, incontornável, por mais que se fale em tentar mitigá-lo com tentativas de equilíbrio.
    Por mais bem equilibrado que seja um jogo, na distribuição de temas e graus de dificuldade, há sempre possibilidade de uma equipa ser sistematicamente confrontada com perguntas que lhes escapam. Parece-me que foi isso precisamente que aconteceu com os Ambité. Isso conjugado com uma "posição geográfica" que levou a "não vermos a chicha" das cascatas ao longo de rondas a fio, mais a ausência de um elemento que na minha opinião teria dado bastante jeito, levou à nossa saída no primeiro nível.
    Azar! Um azar do caraças, como disse várias vezes na própria noite, mas só isso, na minha opinião.
    Felizmente estou convencido de que este tipo de resultados vai continuar a ser a excepção e não a regra para os Ambité!

    ResponderEliminar
  10. muito telegráfico, duas ou três notas:

    1 - Foi o pior jogo dos que já vi aos BMV. Em 2006, fizeram o melhor jogo do ano, e em 2007 um jogo também bem interessante. Este sofre com essas comparações... e dá de facto a impressão de ter sido feito à pressa.

    2 - Teve erros e decisões de jogo menos conseguidas, mas penso que nada de muito grave. E teve uma evolução do grau de dificuldade... esquisita, o que certamenre explica o facto de se ter "perdido o controle" do jogo no nível 2, quando começam por parte das equipas a aparecer as respostas parvas/agressivas/irónicas etc. É o momento em que já não se tem mão na condução do jogo.

    3 - Os Indomáveis ganharam porque foram a melhor equipa (ou uma das duas melhores, com os Cavaleiros). Os Mamedes derraparam, os Fonixes derraparam mais, os Zbroing estoiraram e os Ambité nem-há-palavras. Só isso... Outras rondas haverá com outras distribuições de sortes.

    e ainda: porque sou directamente citado, não nunca li um aviso anti-tabaco, nem sabia qual era a coima. mas parece-me uma pergunta perfeitamente utilizável num jogo de cascata.

    FB (e agora vou ter de escrever croffiti)

    ResponderEliminar
  11. Não costumo ser dada a estas coisas dos blogues, mas desta vez acho que, como parte integrante da organização, devo dizer qualquer coisa.

    Penso que, de uma forma geral, os níveis 1 e 3 correram bem. O problema, no meu ponto de vista, foi o nível 2, que acabou por ser mais difícil que o esperado. Tivemos o cuidado de testar os níveis das perguntas com outros membros da nossa equipa e ex-quizers, mas, pelos vistos, não resultou muito bem.

    Reconheço que este quiz não foi dos nossos melhores, mas confesso que, depois de organizarmos 3 quizes de cascata, vários em bares e de termos participado em nem sei quantos, as ideias já começam a escassear (isto, claro, havendo o cuidado de tentar não repetir perguntas). Por isso, aviso já, o próximo ainda será pior :)

    Agora, não me falem em "pouco esforço" ou "feito a pressa" porque isto dá sempre imenso trabalho e este não foi excepção.

    Tita

    ResponderEliminar
  12. Bem, porque opinar é sempre fácil, também eu me disponho a mandar uns bitaites sobre este quiz dos BMV c/laranja, se bem que só testemunhei o nível 1 e 2 e, como tal, posso não ter uma perspectiva global da coisa.
    Em pequenos pontos:

    - Não me parece justo, neste caso, qualificar de falta de dedicação dos organizadores (ou até falta de tempo, algo que só eles podem confirmar) um quiz de que se pode ter gostado mais ou menos. Foi diversificado, emotivo (o que já é um bom princípio), mas como qualquer um teve as suas falhas.

    - A parte escrita, não complicou e foi acessível para o tempo e aquilo que é suposto ser uma parte escrita. Teve, no meu modesto entender, a particularidade de ser algo simplista demais, o que não é mau face ao que já vimos, mas podia esperar-se algo mais.

    - O nível 1 foi efectivamente um nível 1 na sua generalidade. Das equipas que passaram à 2a fase todas fizeram pelo menos 4 directas (a minha foi a única que acertando 4 directas baldou no desempate, culpa nossa que a dos Interpol era fácil) e, como tal, o número de cascatas foi mais escasso. Da condução do Filipe nada a dizer, tirando aquele pormenor da troca da ordem de uma pergunta, que foi talvez um pouco excesso de zelo. Talvez um pouco de fait-divers a mais, mas num nível 1 não me parece que isso seja uma heresia. O que terei gostado menos foi talvez a separação/distribuição de temas por equipa, não por questões de beneficiar X ou Y, mas porque cria mais oscilações de dificuldade, especialmente quando não existe uma separação temática muito acentuada (aparentemente).

    - O nível dois já me pareceu mais puxado, num salto algo forte face ao nível 1, com diversas perguntas a darem a volta à sala (creio que um pouco mais de 10), o que normalmente é complicado para quem apresenta, porque as equipas começam a “disparar para o ar” e, nalguns casos, a alhearem-se um pouco do jogo. No entanto, continuou a ser diversificado, e a proximidade pontual entre equipas permitiu-lhe não perder a embalagem para o nível 3, do qual não posso dizer nada porque não o vi.


    Traço geral, já vi quizzes melhores dos BMV (o de 2007, como já foi referido, foi um ponto alto), mas o facto de ser uma equipa de quem se espera um bom quiz já é um bom sinal e este cumpriu, coisa que outros nem sempre conseguem
    Pelo que vi o ano passado, não é um exagero dizer que poderá ficar facilmente na metade superior da tabela de organizações.
    Quanto ao resto das efemérides, creio que só a polémica “E o Ursinho sou eu?” deu que falar, mas também porque eles se calhar contribuiram, pela sua ausência, para isso.

    ResponderEliminar
  13. Ciências25/2/09 19:29

    Bom, é a minha primeira participação, pelo que aproveito para dar os parabéns ao Quizadas pelo blog e a todas as almas que se descem nas terceiras sextas de cada mês à Academia - obrigado e uma saraivada de bem hajas.

    Já a propósito do tema, a estética dos tópicos numerados é gira e vou mantê-la, pelo que aqui vai:

    1) Fomos escorraçados no 1º nível e bem, porque fomos uns meninos e falhámos respostas parvas.

    2) O Quiz não foi ao meu gosto, sobretudo ao excesso de "actualidades triviais" - provavelmente haverão outros assim. E concordo que não foi equilibrado, mas só estive na parte escrita e no nivel 1. Finalmente, pareceu-me haver perguntas criadas para cada equipa - foi mesmo assim?

    3) Em relação à exclusão dos Ursinhos, votei na mini-cascata. Tenho pena que a decisão tenha sido aquela, que essa decisão faça jurisprudência e que uma equipa de presença constante na Cascata tenha agora oportunidade para se sentir excluída do Campeonato. É mau para o Campeonato, é mau para o Desporto, é mau karma - enfim, é bera.

    Até Março (se não for antes) e boas blogadas!

    P'los Frikadælløs

    Ciências

    ResponderEliminar
  14. Boas noites.

    Relativamente ao jogo em si, devo dizer que não gostei. É provável que o facto de termos tido uma prestação a roçar o miserável tenha ajudado a formar essa opinião, visto que, como alguém já apontou num comentário anterior, se o jogo nos corre mal fica sempre a ideia que foi um jogo de merda.

    No entanto, penso que não será apenas má vontade nossa a considerar que foi o pior quiz que os BMV organizaram. Se a parte escrita foi limpinha, conforme mandam as regras – algo que sei bem ser difícil de conseguir, visto que existe sempre a tentação de meter mais umas imagens, perguntas e etc. – penso que o jogo começou a correr mal quando os organizadores advertiram logo que não aceitavam uma resposta que não condissesse com aquela que está no cartão, ainda que toda a sala discordasse. Acho que é um erro mostrar esse tipo de inflexibilidade, pois começa-se logo a perder o público com esse tipo de atitudes (basta ver o que aconteceu no episódio “Carlos Slim” no mês passado para ver a diferença que faz na maneira como os jogadores encaram a organização), sobretudo quando fica a ideia que há perguntas que não estão bem formuladas ou cuja resposta está errada: assim de repente lembro-me de “quem se pode ouvir no início da música Civil War” – que não é, de facto, o Paul Newman, mas o chefe da prisão cujo nome me escapa neste momento, tal como me escapou no jogo – ou do maior aeroporto do mundo em área – que é o Rei Fahd.

    Se a isto se juntar um nível 2 com demasiadas perguntas demasiado longas e/ou obscuras, grande parte do público acabou por ir perdendo o interesse. Qual é o mérito de saber o nome do artista checo que fez não sei bem o quê – acabei por nem sequer perceber a pergunta – quando esse senhor não passa de um rodapé nas notícias de um determinado dia?

    No cômputo geral, não sendo o pior jogo que vi, estava à espera de melhor, sobretudo vindo de quem veio.

    E agora para algo completamente diferente:

    Relativamente à polémica do momento, os Zbroing! votaram que uma equipa que tivesse uma falta de comparência tomaria o lugar da última classificada como a equipa que não participaria no mês seguinte. Fizemo-lo porque julgamos que este ano, em que há sempre uma equipa à espera de entrar se se verificar uma desistência – e por essa razão o João Silva estabelece sempre um prazo limite para que as equipas confirmem a sua presença – não deve ser prejudicada por uma equipa que se inscreve mas que, à última, decide que afinal não lhe é possível comparecer. Lá por não serem “históricos” ou o que seja, penso que os Defenestrados não merecem menos respeito do que os Ursinho Bobó.


    Gonçalo Pereira, FDP

    PS - Já agora, Ciências, quando é que aprendes a conjugar o verbo haver?

    ResponderEliminar
  15. Ciências26/2/09 00:11

    Haverá momentos em que um caldo nesse cachaço será desculpado com este P.S. :)

    ResponderEliminar
  16. Gonçalo

    Não te fica bem esse pavor/temor do vosso rival mais directo.

    Se querem ficar à nossa frente com mais segurança este ano compreendo as tuas palavras.

    Vão ler o regulamento. Se este campeonato é casa da Joana e não há regras não vale a pena jogar.

    É assim tanto o medo?

    ResponderEliminar
  17. Apesar desta crónica que roça o insulto, e das recentes desavenças com os Ambité, mantenho o que disse. Acho que devem jogar. Deve jogar quem lá esteve 2 hora, pagou 25 euros e se esforçou. Anteriormente estavam previstas cascatas adicionais, mais poules, mais o raio, depois mudaram tudo à segunda jornada por que lhes apeteceu. Já nem sei o que está previsto nas regras. Os Defenestradores e os Ursinhos faltaram, seja lá por que razão o fizeram (pelo que me lembro nunca nenhuma equipa das old school alguma vez faltou), portanto os dois devem estar atrás de quem se esforçou. Já estava ligeiramente (?!) alcoolizado, não sei os votos das outras equipas, mas pareceu-me que o João resolveu bem as coisas. Acho que no fim, vai dar para jogar toda a gente, portanto acho também que já estão a fazer filmes a mais, e se quiserem voltar novamente atrás à regra das mini cascatas (que segundo tinha entendido, tinha sido posta de lado!) devo dizer que vou achar uma certa graça ver o filme Defenestradores-Ambité-Ursinho. Espero que haja lama e dor, muita dor.

    ResponderEliminar
  18. Xiii... nem tinha lido o comentário do Quizzer. Muito bom. Rival directo dos zbroing (cof, cof), ameaças, ironia, e aconselhamento jurídico.

    Eu sugiro uma arena fechada, sem luvas.

    Odeio coisas que se resolvem sem violência física, uma dezenas de anos de Rugby e Kickboxing mostraram-me o caminho.

    PS: Luís, os gajos são todos o dobro do teu tamanho.

    ResponderEliminar
  19. Está-me cá a parecer que uma certa e determinada equipa ainda não digeriu o falhanço do 3º lugar no campeonato da época passada…

    ResponderEliminar
  20. Vamos fazer uma cascata de porrada?

    ResponderEliminar
  21. Flip

    Acho que continuas ligeiramente alcoolizado.

    ResponderEliminar
  22. Já vi aqui sugerirem votações, cascatas de porrada, recurso à violência, mini-cascatas.

    Lá enfrentarem quem dve enfrentar no jogo do quiz é que nada...

    ResponderEliminar
  23. Sr Quizzer, não foi vossa excelência quem não enfrentou as restantes equipas no último quiz? e não foi vossa excelência que disse em tempos, a propósito das equipas faltosas, e passo a citá-lo “não há justificação para o que fizeram… a Comissão deve tomar isto em conta no início da próxima época”?

    ResponderEliminar
  24. Foi anónimo! Foi isso mesmo. Em Fevereiro tivemos demasiado medo da concorrência e não aparecemos.

    Quando escrevi isso referia-me a uma equipa que faltou a uma equipa (E.V.A. ) que faltou a 8 quizzes em 10. E como bem refere é no início da época que se dve tratar disto quando se aceitam incrições de equipas. Não a meio de jornada!

    ResponderEliminar
  25. Quizzer, quer-me parecer que não te deste ao trabalho de ler o meu comentário até ao fim. Ou, pelo menos, não arranjaste contra-argumentos e decidiste-te por um ataque ad hominem.

    Quanto aos regulamentos, não tenho que os ler; mas parto do princípio que se um membro da Comissão Organizadora propõe uma votação é porque a legislação é omissa nesse ponto. Se não é assim, muito bem, não é a participação de nenhuma equipa que me tira o sono. Aliás, se alguma coisa me tira o sono, são as putas das obras no cabrão do meu prédio. Enquanto escrevia este comentário ouvi algumas 7864547746 marteladas.

    ResponderEliminar
  26. Esqueci-me de assinar, mas continuo a ser eu.

    Gonçalo

    ResponderEliminar
  27. EVA? O Sr. Quizzer sabe muito bem que não se referiu apenas a essa equipa; referiu-se indiscriminadamente a todas que tinham faltado, e tenho sérias dúvidas que tenha tentado saber junto das mesmas os motivos de tais faltas.
    E se tinha tão nobres intenções de regulamentar as faltas, porque não o fez antes, quando outros jogadores, vulgarmente conhecidos como “energúmenos”/“acabadinhos-de-chegar”, corriam o risco de passar por esta mesma situação?

    ResponderEliminar
  28. Deixem-se de tretas.

    Só está aqui uma coisa em causa. Pôr os ursinho bobó fora da corrida na secretaria.

    O resto são balelas. Tenham vergonha e admitam.

    ResponderEliminar
  29. Eu só vejo a tua equipa a ofender todos aqueles q supostamente votaram p vocês ñ jogarem o próximo quiz mas ainda ñ percebi o q é q vocês achavam q ia acontecer, qdo faltaram (sabendo q já se tinha excluído por completo a hipótese da mini-cascata)

    ResponderEliminar
  30. vai ler o regulamento e não em faças perder tempo.

    ResponderEliminar
  31. confirma-se: és um idiota

    ResponderEliminar
  32. "Só está aqui uma coisa em causa. Pôr os ursinho bobó fora da corrida na secretaria."

    Corrida?? Qual corrida??

    ResponderEliminar
  33. Estão a personalizar a coisa. A decisão foi estúpida. Ainda vamos a tempo de arranjar as coisas e culpar o Carnaval. Castigar quem falta (e justifica)com mais uma falta forçada? Faz algum sentido?

    ResponderEliminar
  34. E qual é a sugestão/alternativa?!
    Castigar quem foi, e abdicou de uma série de coisas, e ainda pagou a inscrição?
    Fazer mini-cascatas? Não pode ser: já tinham sido excluídas por votação no quiz anterior e não é justo ressuscitá-las cada vez que uma das equipas “grandes” tem má classificação/não comparece.
    E já agora, pq é q a mini-cascata foi sequer considerada nesta votação? Inicialmente não era p apenas se votar na saída dos ambité ou dos ursinhos?
    Para além disso, tb não é justo pedir à equipa organizadora q tenha tanto trabalho a fazer mais perguntas para mini-cascatas, q até podem ser inúteis como aconteceu na 1ª jornada
    Provavelmente foi criado um problema qdo se aceitaram tantas equipas (e talvez isso é q deveria ter sido votado), provavelmente esta votação não deveria de ter sido feita na ausência dos ursinhos (e dos defenestrados!). Mas, mm q estivessem todos presentes, isso iria mudar alguma coisa na votação? (lembro q os ambité abstiveram-se, por estar directamente envolvidos). E se não fosse naquele momento seria qdo? Não imagino reunir 80 pessoas p resolver esta questão, qdo todas as outras têm sido sempre votadas nos dias de cascata.
    E, no futuro, como é q se controlam as faltas c justificações aceitáveis? Se for através de atestados médicos, parece-me q há uma equipa na cascata claramente em vantagem :)
    Parece-me q a questão de fundo é q a regra da exclusão foi aceite inicialmente pq se partiu do princípio q estariam envolvidas equipas “menores” e não as “maiores”, pq não imagino isto tudo acontecer se fosse c equipas do fundo da tabela.

    ResponderEliminar
  35. Não há justificações aceitáveis ou inaceitáveis - há faltas justificadas ou injustificadas. Podes até faltar se não te apetecer ir, mas se avisares a tempo (3 dias) não deves pagar por isso (pra acordos com o demo já basta o crédito à habitação).
    Os defenestrados devem jogar. Ficaram em último e pagaram a factura. Mesmo que viesse a haver uma mini-cascata eles deviam entrar directo no jogo - independentemente do facto de irem faltar em fevereiro mesmo que em janeiro não fossem últimos. Os Ambité, que ficaram em último devem ficar de fora (são as regras!) em março. Os ursinhos devem jogar - não puderam jogar em fevereiro e foram penalizados por isso (ZERO pontos em fevereiro). Se alguém faltar (e avisar) em Março os Ambité jogam. Simples. O grande erro foi a comissão fazer a votação. Esperavam que fossem os novatos e as equipas do fundo da tabela a jogar o roda-bota-fora mas parece que não foi assim. E não me venham com os 25 euros que esse argumento não faz qualquer sentido. Em fevereiro paga-se fevereiro, em março paga-se março. Todos os meses há equipas que se despedem mais cedo. É desagradavel mas todos sabemos como é. Ninguém é obrigado a ir.

    ResponderEliminar
  36. ...mas parece-me ter ouvido q eles avisaram na 4ª feira, o q não corresponde a esses 3 dias - talvez seja um pormenor, ou não.

    ResponderEliminar
  37. O aviso foi feito na segunda-feira como posso provar através de email. E não foi apenas a avisar foi a apelar encarecidamente para mudarem o dia.

    Mas qual era o teu objectivo neste ponto? Subtrair-nos 2 pontos de acordo com o regulamento era?

    Triste...

    ResponderEliminar
  38. Quizzer, às vezes até parece q tens razão na tua argumentação mas o teu modus operandi é o teu calcanhar de aquiles - está visto que não vale a pena colocarmos questões e clarificarmos este assunto; o melhor é fazer birras e agredir toda a gente q "votou contra vocês"

    ResponderEliminar
  39. Bom, pessoalmente acho que chegámos ao exagero, diria mesmo à parvoíce.Agora vou dizer da minha justiça. E vou colar este post no conhecimento para que não haja birras bloguianas.
    Ponto 1: Não bebi alcool durante o ultimo quiz;
    Ponto 2: O ponto 1 serve para justificar os restantes pontos;
    Ponto 3: Talvez me tenha precipitado quando,depois de me alertarem para o facto de estarem a faltar 2 equipas, ter querido resolver a situação imediatamente. Se tivesse bebido tinha-me marimbado para a situação e não tinha havido votação, ou se houvesse seria pós-jogo;
    Ponto 4: Ao fazê-lo nunca pensei que isto descambasse num coro de alarvidades, não tanto pela validade dos argumentos das partes, mas sim por parecer que somos gente de terras, costumes e educações diferentes. Se tivesse bebido não tinha ouvido o sussuro porque estava a gritar por mais um whisky;
    Ponto 5 : Porque o quiz é um jogo. Normalmente bebo como tudo no cascata;
    Ponto 6: Porque o quiz pressupõe divertimento. Quanto mais me divirto mais bebo;
    Ponto 7: Sinceramente nunca liguei muito ao regulamento. Defeito de futeboleiro. Não sou licenciado em Direito, nem jornalismo, pessoal atento aos pormenores. Provavelmente errei na decisão de pôr a coisa à votação. Vou beber por isso;
    Ponto 8 : Crucifiquem-me, empalem-me. Mas não matem o jogo. Eu gosto do jogo e do seu espírito. De rever as pessoas uma vez por mês. Mesmo aquelas que sei que não gostam de mim. Mas também há as que gostam. Sempre preferi o whisky ao vodka. Gostos;
    Ponto 9: Acho que o bom senso deve imperar, que as hordes se devem acalmar, para bem de todos. Sem alcool fico toldado de ignorância;
    Ponto 10: A melhor solução do meu ponto de vista será jogarmos as 17 em Março. Depois e com cordialidade logo as coisas se resolverão. Se calhar com um brinde.

    Johnny Ex Bigodes

    ResponderEliminar
  40. Uma pessoa tem q manter a sua palavra, porra! Cá vai: ursinhos totós, ursinhos totós, ursinhos totós…

    Assinado: anónimo, com justa causa. Mais uma vez, porra!

    ResponderEliminar
  41. capitao dos ultimos27/2/09 04:22

    cópia do publicado no outro blogue]
    VANITAS VANITATUM, OMNIA VANITAS.

    Caros Anónimos e Caros assumidos, signantes destes posts de um Blogue que parece renascido como a Fénix.
    Antes de começar, permitam-me que vos diga que comece por estranhar que um post, colocado no mês de Fevereiro, seja apelidado como sendo “Sobre a polémica do ano no Quiz de Cascata!", não deixa de ser ousado o título.
    Cá por mim que não consulto o Oráculo de Delfos e que coloquei a bola de cristal no prego, pois esta crise não poupa nada nem ninguém, não me atreveria a tanto…mas como se sabe existem Egos e Egos… e se assim se sentem confortáveis, quem sou eu para os contrariar…
    Mas se o Sr. ou Srª Quizzer, pseudónimo de quem escreve, assume as acusações que faz, espero que não seja um “Godot” e que quando for a hora da verdade apareça e se assuma quem é, para que nós saibamos quem anda a escrever estas “descompusturas” bloguistas, que já há muito ultrapassaram as regras.
    Sim porque falando de regras, existem realmente regras a cumprir (mesmo quando se está desesperado), a da boa educação é uma delas, além de como é evidente das leis da República, mas não vamos por aí… ainda.
    Mas se ao menos os textos do Sr. Quizzer, que me ofendem a mim e á minha equipa (não falo pelas outras), são assinados, o mesmo não se pode dizer de um outro anónimo que ofende e não se sabe sequer quem é.
    Se as opiniões a nós nos vinculam, esconder-se atrás do anonimato danso opiniõe torpes, fazem-me lembrar que “A calúnia e o insulto, são a última arma de quem prevarica”
    Por isso, quanto ao primeiro “postador” anónimo que escreveu e passo a citar “Deve de ser moda jogar quizz. Por mim mantinham-se os velhos estatutos e a antiga maneira de jogar. Aumentem o nº de participantes em cada equipa e não metam equipas novas da treta, só porque não sabem o que fazer uma sexta-feira por mês ou temem o rolo da massa em acção. Quem é que desata o nó Górdio? Abraçejos” fim de citação.
    Comentários a isto, vários: além deste anónimo estar embuído deste “animus” traiçoeiro, não assumindo o que diz., revela falta de “Fair Play” no jogo, recorre a argumentos baixos, despropositados e nada elegantes quando se refere a novas equipas.
    Reparem, isto não é só vir aqui e largar um post, e ir embora, estamos a falar de pessoas, que na última 6ª feira de cada mês se encontram e que acusações destas minam qualquer tipo de realização.
    Convenhamos que frases como: “equipas da treta”, “não sabem o que fazer uma sexta-feira por mês” e “temem o rolo da massa”, são no mínimo de mau gosto, para não ir mais além.
    Que a equipa de quem proferiu a frase tenha conhecimentos ecléticos, muito bem, mas eu na minha equipa não manteria ninguém que tivesse uma postura assim como a sua, por mais conhecimentos que tenha.
    Mas tendo o/a anónimo revelado graves problemas no que diz respeito a não saber o que fazer uma sexta por mês ou se tem medo de entrar em casa e levar com o rolo da massa por estar a jogar quizz.
    Aqui deixo o nosso conselho, não se acanhe, não seja mais um/uma telefone para o número da violência doméstica e denuncie a sua situação. Estamos certos que eles tratar-lhe-ão do seu caso… e como somos compreensivos e caso se coloque a questão do divorcio, a nossa equipa (e outras) possuí um leque de advogados que poder-lhe-ão fazer um preço em conta e esquecer este pecadilho que fez contra nós.
    Mas como quer permanecer anónimo/a como parece, sugerir-lhe-ia o apoio judiciário não lhe será recusado, e poderá tratar dos seus problemas pessoais sem que a “malta” do quizz saiba que leva com o rolo da massa por nossa causa.
    Qualquer das maneiras a minha profunda solidariedade para com o rolo da massa.
    Entrando na outra parte da questão, sublinho desde já que sou de uma das “novas” equipas que se formou para entrar no quizz.
    Pensávamos nós que era para participar num jogo, mas afinal, depois de lermos o Sr Quizzeer, vejo que nos enganámos… afinal isto era uma entrada encapotada para a tropa.
    Só pode ser pois é lá que a antiguidade é um posto… mas enfim já que cá estamos… logo se verá.
    Devo referir a V.Exa Sr. Quizzer, que vai ter de rever melhor as suas fontes antes de fazer acusações, pois V.Exa disse e passo a citar “PS – Sei que as verdadeiras grande equipas de Quiz, que ganharam jogos e campeonatos votaram contra esta autêntica vergonha. Agradeço-lhes a sua verdadeira postura digna de cavalheiros e de fair-play. Pena que os novatos tenham ainda muito galgar não só em competitividade mas na elegância com que as equipas a que me refiro entendem e conhecem muito bem a história e o grupo de amigos que é o Quiz.” fim de citação de V.Exa.
    Permita-me então V.Exa, que este humilde carroceiro, e retiro este epíteto das palavras de V.Exa que lá mais para a frente reproduzirei, permita-me V.Exa, dizia eu, fazer algumas observações ao que foi escrito:
    • “As verdadeiras grande equipas” (ipsis verbis, retiradas das tão sábias palavras de V.Exa, um dos decanos deste nosso tão amado e venerado quizz), não faço ideia quais os orçamentos e patrocínios que se consegue ao jogar Quizz para se considerar as equipas grandes, além de que V.Exa está implicitamente a dizer que as outras equipas que participam no Quizz são falsas, logo desonestas. Acresce que este epiteto que V.Exa utilizou mascára a intenção de V.Exa, deliberadamente, minorar intelectualmente os jogadores quer individualmente quer colectivamente, e merece da minha parte o mais profundo repúdio.
    • Depois o seu conceito de democracia de V.Exa é muito redutor, o que não admira pois os absolutistas sempre o foram e V.Exa pertencendo à Realeza Quizzeira não vai cá em democracias. Quiçá, votação, para V.Exa, é um acto que só aos nobres deve ser concedido, e os nobres para V.Exa resume-se a quem ganha os quizz, e a esses e só a esses é que permitido tomar as decisões, sempre, claro está, acertadas. Entregar a votação ao povo ignorante, que horror isso não. Neste aspecto particular, em relação á equipa que V.Exa representa, sinto-me tentado a concordar com V.Exa, porque ao contrário do que escreveu, a maioria das equipas que V.Exª apela de verdadeiras votou contra a equipa de V.Exa estar presente… portando a nobreza, e por acaso, só poderá ser por puro acaso, a minha equipa, que por V.Exa e pela escrita do anónimo referido pertencemos a ralé, pois somos falsos e pequeninos, votámos para que fosse feita uma mini-cascata, porque achámos injusto fazer algo a uma equipa da classe da nobreza, não fosse essa equipa encher com o seu poder a blogosfera, e para nos precavermos, para dizermos que a ralé respeita a hierarquia, até fizemos, imagine-se uma declaração de voto.
    • Saiba V.Exa, que contra a vontade de alguns membros da equipa, defendi no início do campeonato, questionando directamente a organização, o porquê da realização de uma mini-cascata, já que existiam e existem condições na sala para albergar até 20 equipas. Ah mas a nossa equipa ia entrar, e era muito nova, e ainda é nestas andanças, e como somos novos e carroceiros (palavras de V.Exa) não pensamos e somos pequeninos. E as regras que V.Exa votou e ajudou a elaborar, pois V.Exa já é cliente antigo da casa, assim o ditavam, mas como estava democraticamente aceite, acatámos… coisas que o povo faz…é acatar a decisão da maioria, contrariados mas fomos.
    • Fiquei também a saber também pela mão de V.Exa, que os homens da equipa a que pertenço (e todas as novas equipas) e que tiveram a ousadia de aparecer num local público, e imagine-se numa sala onde se disputam eleições nacionais e autárquicas, e tiveram o querer de ascender à realeza, que V.Exa tão bem diz representar… diz V.Exa que não temos postura digna de cavalheiros, portanto devemos pertencer á classe dos carroceiros e afins e as mulheres que pertencem às equipas novas são de má índole. Palavras que podemos aferir do texto de V.Exa., numa interpretação ”ad contrario”, ou seja somos aquilo que os outros não são. Permita-me V.Exa, que um humilde carroceiro lhe de um conselho, seria melhor que V.Exa repensasse melhor as suas palavras, e quiçá como pertencendo à classe da nobreza quizzeira, tivesse a humildade de pedir publicamente desculpas da maneira como a todos nós nos apelidou. As palavras de V.Exa são atentatórias ao nosso bom nome e dignidade, e nada, mas nada justifica as ter usado assim levianamente. Já que V.Exa invoca as regras, sinto-me obrigado a relembrar a V.Exa as regras constantes no nosso código penal quanto conduta de.Exa, e mais não digo.
    • O ainda capitão da equipa a Liga dos últimos

    ResponderEliminar
  42. Sai um aplauso para o último post!

    ResponderEliminar
  43. Sergei Kostov27/2/09 11:03

    No meio de toda esta polémica creio que, o regulamento há algum tempo que já só está a servir de arma de arremesso.

    Veja-se o artigo 22, Direitos dos jogadores:

    h) Ser tratado com respeito pelos outros jogadores e equipas;

    Possivelmente isto deve ser válido só nos dias de cascata (e antes do álcool invadir alguns sistemas). De resto, começo a ver pouco disso no que a esta polémica diz respeito.
    Do artigo 23 nem falo, porque se desse multa a CO tinha mais dinheiro que a ASAE.

    Os Ursinhos estão indignados. Eu, no lugar deles, possivelmente também estaria. Eles expressam bem essa indignação com alguns retoques legais e algumas insinuações nalguns casos mais grosseiras (um insulto, mesmo formulado em bom português, não deixa de ser um insulto).
    Aí, mesmo descontando o factor pessoal, acho que existem melhores maneiras de fazer valer argumentos.

    Se isto é um divertimento, coisa de recriação, entretenimento, etc e tal, então fazer um apelo férreo a um regulamento que está claramente desactualizado em diversos pontos, face à evolução do campeonato, é estar a querer ir buscar uma tábua de salvação legal algo carunchosa.

    Tentando ver ambos os lados da barricada, creio que se constata o seguinte:

    a) As alterações desta época foram votadas à pressão e a prova disso está no que não está claro e é confuso até agora. A ordem de organização dos jogos a época passada era clara, este ano nem por isso. Primeira jornada teve mini cascatas de apuramento que não serviram para nada. A 2a não teve. Na 3a já se punha de novo essa hipótese. O quiz está projectado para 16 equipas, sendo que jogarem 18/19 de início implica um número similar de perguntas ao das mini cascatas. É assim uma coisa tão absurda?

    b) As equipas que por norma obtêm melhores pontuações dificilmente se viram na posição de excluídas na regra "o último fica de fora no próximo". Quando isso acontece(r) há/vai haver sempre molho.

    c) Nem toda a gente que votou pela exclusão dos Ursinhos tem QI e atitude de réptil. Tirando um gajo da minha equipa, apesar de dar jeito nas perguntas de ciências.
    Nem toda a gente que votou a favor dos Ursinhos é automaticamente nobre ou gentil-homem, pois nas antigas côrtes o que não faltava era nobreza, intriga e jogos de bastidores, invariavelmente com um sorriso e atitude graciosa.

    d) Já houve equipas que foram jogar com 1 elemento e não ficaram em último. É louvável e desconfortável ao mesmo tempo.

    e) De facto, faltaram duas equipas para todas as inscritas votarem nesta questão e isso é importante. Faltaram portanto Defenestrados e Ursinhos, sendo que a atitude graciosa destes últimos seria absterem-se e pagarem em moeda corrente ou serviços legais pelo voto dos Defenestrados. O que provavelmente daria empate e deixaria a decisão nas mãos da CO ou do Leal Conselheiro (ao contrário do que manda o regulamento, creio que este ano não foi eleito, suponho que se mantém o Marco).

    f) Isto não é o Tribunal Internacional dos Direitos do Homem que Vai ao Quiz. O regulamento é uma linha orientadora, mas o bom senso e a luta na lama devem prevalecer. Vitimizações, ameaças, testamentos (no qual incluo este) ou esgrima de argumentos com betoneiras, tudo isso é demasiado. Estando agora na presença dos argumentos todos e na ausência (espera-se) de inputs etílicos creio que pode haver uma decisão diferente e que agrade mais a todos do que o quase 50/50 que se deu na famigerada votação.

    g) Já se falou na alínea do regulamento que trata das faltas de comparência. Diz lá, salvo erro, que quem tenha faltas de comparência não justificadas leva 2 pontos de penalização. Se isto fosse para levar à regra (coisa que não tem que ser dogmática), o ano passado creio que, por exemplo, os Feios, Porcos e Maus faltaram 2 vezes o que daria menos quatro pontos e tinham sido eles a organizar este quiz. O que significa que teríamos polémicas completamente diferentes para nos entreter. Este ano, a irmandade do Bordel já começava com -2. Isto parece-me exagero, levar zero pontos e pagar umas rodadas aos organizadores que fizeram perguntas para o boneco parece-me suficiente.

    Acrescentando que quero deixar a minha colecção de cromos da NBA ao Johnny Ex-Bigodes, concluo com o seguinte: A minha equipa votou pela exclusão, mas nada me move contra os Ursinhos, nem nada que se pareça. Na altura, sem olhar a pergaminhos, nem a complôts, foi o que nos pareceu fazer mais sentido. No entanto, não me custa nada reconsiderar, havendo uma solução pensada (não só para este caso, mas para o ano todo) que resolva isto da melhor forma para todos. Quizzes para 18, não fica ninguém de fora, é uma questão a ver.
    Não convém é deixar a coisa para o dia ou a véspera do próximo quiz de cascata, para não irmos outra vez pelo mesmo caminho.

    ResponderEliminar
  44. And now for something completely different...27/2/09 11:04

    Já percebi a razão atrás da obscura reorganização do calendário das organizações de jogos (de janeiro a julho organizam por ordem decrescente do 10º ao 5º para de setembro passar a oredem a crescente, do 1º até ao 4º - um tudo nada de Calvinball a mais, não?) - FOI TUDO PARA OS NNAPED FAZEREM A CASCATA DA QUARESMA UMA VEZ MAIS!
    Graças a Deus!

    ResponderEliminar
  45. ERRATA:
    11º ao 5º
    Amen

    ResponderEliminar
  46. Sacro parvalhão27/2/09 11:07

    Corações ao alto...

    ResponderEliminar
  47. Li o teu post João, e se jogarmos todos tudo bem, mas sempre. Não vou ser eu que se ficar em último ou faltar depois vou ficar de fora noutra jornada.

    Na minha opinião essa parece-me a mais estúpida de todas as soluções possíveis.

    Então as hipóteses não eram ou mini-cascata ou ficava o último e fora para manter o número definido de equipas? Mas que raio...

    ResponderEliminar
  48. [Cópia da resposta ao capitão dos Últimos postada "no outro blogue"]

    Acho que a resposta a este testamento com mais tamanho que conteúdo se faz facilmente com respostas curtas e objectivas.

    O caro capitão da Liga dos Últimos fará o favor de entender a minha resposta como pedagógica.

    1- O caro capitão será provavelmente a unica pessoa que não sabe quem sou. O meu nome é Luis Tirapicos. Sou o criador deste blogue. Tem uma entrevista com o meu perfil. Várias fotos. E um jogo organizado por mim em 2006. Tudo na coluna da esquerda. Acho que assim terá informação que chegue. Se quiser o número de contribuinte é o 223854336. O número de cédula da Ordem dos Advogados é 21127L. Para outras informações pode ligar-me para o 966314184.

    2. Sobre o que escrevem o anónimos não tenho nada a ver. Quando criei este blogue, em 2006, vedei os comentários anónimos. Depois algumas pessoas pediram para autorizar porque não tinham registo no blogger. E assim ficou.

    3. Quanto a isto ser a tropa. Não é. É de facto um jogo. Um jogo que muitos amigos jogam de há uns anos para cá. Jogo esse a que vocês foram convidados a entrar. Se é que me entende...

    4. Não sabe quem são as verdadeiras grandes equipas? Não tenho culpa do seu desconhecimento. É um problema seu. O meu blogue pode dar-lhe uma ajuda. Estude o que foi o quiz nos últimos anos e verá quais são as grande equipas. O que escrevo escrevo na qualidade de alguém que não esteve lá e não sabe quem votou em quê. Sei umas coisas e sobre essas versei.

    5. Onde é que usei o termo carroceiro?

    6. De onde é que esse imaginação retira que por eu falar em grandes equipa chamo falsas e desonestas a outras equipas? Um passo um bocadinho maior que a perna...

    7. Se conhecesse mais do Quiz saberia da linha ideológica da nossa equipa. Não vamos em democraticismos à margem da lei e à robspierre, de facto. Se pensa que nos insulta com o termo absolutistas há pessoas que se devem estar a rir neste momento. Mas isso são outras conversas, que posso ter consigo na próxima sexta pessoalmente. Ma so seu conceito de democracia tem uma pequena falha. A minha equipa não votou nada nem foi ouvida na matéria. É esta a sua democracia?

    8. Onde é que eu chamo carroceiro a alguém?

    9. Se já tivesse mais experiência de quiz saberia que um quiz com mais de 15 equipas é um calvário autêntico que acaba à 4 da manhã ou mais tarde. Mas pronto para quê valorizar quem pensou nestas questões há anos atrás. O Capitão deve ter as soluções todas.

    10. Diga, se faz favor, onde é que eu chamei carroceiro a alguém.

    11. Um cavalheiro para mim é quem respeita o fair-paly. Sempre se respeitou até ao mês passado o fair-play. Sempre em benefício do jogo. Não é fair-play excluir uma equipa que sempre andou na parte de cima da tabela 3 anos.

    12. Quanto às condutas do Código Penal deixe-me que lhe diga só uma coisa. Onde é que o caro capitão tem a cabeça? Não consigo parar de rir com essa mini-ameaça velada e por isso não consigo escrever mais...

    Perdão... só consigo escrever mais isto.

    13. Onde é que eu chamei carroceiro a alguém?

    ResponderEliminar
  49. flip:
    Com é óbvio para mim seria jogarmos todos sempre. Não faz sentido de outra forma.Mas convém auscultar todas as opiniões.

    Joao

    ResponderEliminar
  50. Uma conclusão salta à vista desta conversa de carroceiros:

    Ex-Bigodes não bebe = Cavaleiros fazem grande jogo (q.e.d.)

    Vou pessoalmente garantir que o whisky flui alegremente para a mesa correspondente durante o próximo quiz.

    ResponderEliminar
  51. Mudslinger27/2/09 15:53

    Quizadas, a pensar nas scroll wheels (e nos dedos) dos teus fiéis leitores peço-te encarecidamente: un novo post s.f.f.
    Compreendo que queres distância desta batalha campal - escreve sobre outra coisa qualquer - a malta trata de cagar com lama a zona de comentários!

    ResponderEliminar
  52. É isso, Sofia, como já tinha dito no outro blog.

    Copos pró Bigodes, que nós levamos mais alguns pontitos...

    Para Março, faça-se um peditório público nacional, para se oferecer uma botelha de "xixi" aos Cavaleiros.

    CMD

    ResponderEliminar
  53. Fosga-se!
    Já não vinha ao blogue há dias!
    Isso é que foi dar ao dedo!

    Os comentários demoram 16 segundos a scrolar de cima a baixo.
    Medalha de latão banhado a ouro para o capitão moura (que lençol, meus amigos).

    Falando de substância: 17 equipas a jogar é mesmo excessivo. Já o eram 15, digo eu.
    Número ideal? 12.
    Soluções para ninguém ficar de fora? Um nível 0, para todas as equipas abaixo do 10º na ronda anterior (Uma qualificação, pura e dura). Depois, cinco vão para casa, duas jogam nível 1, com os pontos a 0. E entram as 10 mais bem classificadas.
    É um modelo decalcado do Nacional de Clubes de atletismo, só que concentrado numa jornada :)
    Obrigaria (até) sete equipas a estar lá mais cedo, pouparia às últimas seis sair de lá cada vez mais tarde.
    E, sobretudo, nunca impedia ninguém de jogar uma boa mão cheia de pontos em cascata.
    Provavelmente, será inviável para 2009, mas pensem nisso para o ano seguinte.

    FB
    Até para a semana (quando isto chegar ao comentário 100?)
    agora vou escrever subcesh (coisa ridícula, sr. Fialho. dá para desligar, sabia?)

    ResponderEliminar
  54. 'Tá bonito, isto...
    Ainda bem que me pirei mais cedo!

    ResponderEliminar
  55. BEM.... 54 COMENTARIOS????

    ACHO QUE ESTOU INTIMIDADO PARA FAZER O PROXIMO QUIZ!!!

    OU MELHOR, ESTOU SOBRE PRESSÃO!!!! UMA COISA QUE DEVIA PASSAR POR SER UM DIVERTIMENTO...

    TUDO OK... VOU ENTÃO ENTRAR NA PRIMAVERA SOB PRESSÃO (SIM, O QUIZ É DIA 20) , E SEJA O QUE ...VOCES QUISEREM!! DAREI CORPO AO MANIFESTO!!!

    So espero nao atingir os 55 comentarios!!!! esse numero será o numero de dias que faltara para o Benfica ser campeao, no dia 20 março!!!

    Carlos Santos (NNAPED)

    ResponderEliminar
  56. UMA DICA.... VÃO TREINANDO O 11 DO BENFICA....

    E O 4º REI DA BABILONIA....

    E MUITA MUITA MUITA RELIGIÃO!!!

    E ESTUDEM TAMBEM AS BORBOLETAS!!! (Ou nao fosse o inicio da primavera..)

    Carlos (NNAPED)

    ResponderEliminar
  57. 12 equipas? Estás passado? E os prémios? Não dariam prás bifanas. 20 é que é! Lembras-te de Janeiro? Foi um fartar vilanagem!

    Carlos: perguntas sobre o GLORIOSO? todas! Mesmo sem saber as respostas, perde-se com alegria.

    CMD

    ResponderEliminar

Mostra o SunTzu que vive em ti e comenta com garra.