domingo, 21 de dezembro de 2008

Crónica da jornada de Dezembro

.


ZBROINGUISMO - Ranger as hélices enquanto se ganha!


Foram os Bobós pela voz da ursinha Rita(?) que acertaram na pergunta do Bruxismo, (para os que não estiveram lá, significa ranger os dentes enquanto se dorme!). Mas, depois desta jornada bem se pode criar o termo Zbroinguismo. Só os Mamedes lhes fizeram frente (e também os Indomáveis, mas só até final do 2º nível), numa jornada que, à semelhança da anterior, os dois primeiros ficaram separados por um simples ponto. Os protagonistas é que foram diferentes.

O adeus às Santas


Santa Marta, São José, Santa Catarina, Beata Filipa (não há uma única santa com este nome??!!)e restantes santos oficializaram o que alguns já sabiam. As Santas Noites fizeram a sua despedida do campeonato. Talvez voltem atrás na decisão. Pessoalmente gostava muito que assim fosse. A par dos Golfinhos, (e mesmo dos Mamedes) são uma equipa que sempre participou com o espírito de participar. De gostar deste desporto... pelo desporto. Nunca foram à final em 20 jornadas. Também se ficaram mais vezes pelo 1º nível que vezes foram ao 2º. Mas, pelo entusiasmo que sempre demonstraram, teriam merecido, ao menos uma vez, um momento de glória de uma final. Por isso, e por todas as razões, achava-se que era este o seu momento de glória de se despedir em grande ao organizar uma jornada que todos gostassem.
Mas, infelizmente, tal acabou por não suceder.
A parte escrita foi escorreita, variada, bem interessante, percorrendo várias áreas de interesse para que fosse ao encontro de todas as equipas. Apesar de tudo, achei estranho as pontuações tão baixas. Talvez tenha sido a falta dos meios pontos; mas com três elementos em quase todas as perguntas, isso nem tinha razão de ser. Gostei muito, parabéns.
Mas a partir daqui foi sempre a descer. O 1º nível ainda foi divertido e com algum interesse, sobretudo as citações do Rui Santos e a sua casa de putas (-Oh Filipa! - brincava o Helder como se lhe quisesse pôr pimenta na língua) ou da Paula Bobona - perdão - Bobone a regurgitar do alto da sua sageza sobre a assunção dos sem-abrigo! A grande piada da noite foi o nome kriptoniano do Super-Homem (peço desculpa ao autor pois não me recordo quem disse) que ficámos a saber que afinal foi... Jard-El!
A partir do 2º nível as perguntas sucediam-se só para três equipas, e que se reduziram a duas já no 3º nível, dado que todas as restantes foram mostrando sinais de incredulidade que foram mudando pouco a pouco para o descontentamento e por vezes à ira.
Nestas condições tão adversas, Filipa, Catarina e Zé foram esmorecendo o élan com que se apresentavam ao microfone, conscientes que afinal o empenho e o investimento que tiveram ao longo das últimas semanas, mesmo com prejuízo das suas próprias vidas pessoais e profissionais, não deram frutos.
Desabafos no final duma noite (d)esgo(s)tante vão pôr o dedo numa ferida velha que ainda não cicatrizou, muito menos se regenerou: A organização de qualquer jornada, e porque é difícil criar regras e condições para que se seja obrigado a respeitar com recurso a penalização, são o grande handicap a um bom funcionamento do campeonato de cascata, quaisquer que sejam as mudanças noutras regras. Muitas vezes, aparecem desmotivações em equipas que vão lá para participar e vêem defraudadas expectativas de, pelo menos, uma boa noite, mesmo que conscientes do seu valor. A subjectividade e o domínio de temas que são queridos a cada equipa são um factor determinante. Acho que ninguém se incomoda, ou pelo menos não devia, por haver uma predominância de quatro ou cinco temas. Mas que isso não seja a maioria das perguntas! Isto é um Desporto que não tem de ser autista! Este ano houve em geral, um melhoramento nas organizações. Isto é inegável. Mas não chega. É necessário criar condições para minimizar o que se passou, não só nesta jornada, mas também em muitas outras ao longo destes três anos. Jornadas essas em que só havia duas, três equipas no máximo a participarem e as restantes ficavam tão frustradas, para não dizer irritadas por se terem deslocado até à Ajuda. As grandes equipas vêem-se no somatório de todo um campeonato. Mas não tem que haver diferenças enormes de pontos nas equipas ao final de 11 jornadas. Porra! Todos nós amamos este campeonato! Há provas disso. 19 de Dezembro, perto de Natal, jantares de amigos anuais ou jantares de chacha das empresas mas que se tem que ir, trabalho exigido por patrões ou clientes que nos sobrecarregam à brava com esforços finais de ano, cansaços acumulados dum mês esgotante, e apesar de tudo, a grande maioria das equipas arranjou forma de trazer todos os cromos deste campeonato, numa jornada que até era a feijões! Isto é paixão! Repito, a classificação deste ano nunca sofreria grandes alterações, mesmo que as jornadas fossem mais competitivas. Mas a expectativa aumentava e de que maneira! Não só no campeonato, mas em cada jornada. O segredo de uma organização quase perfeita só esteve no poder dos Espertalhos. Era bom que lhes perguntássemos a receita para que não nos fiquemos por um insípido pastel de nata e saibamos aperfeiçoar o pastel da Ajuda.
Na minha opinião, o grande problema da organização das Santas foi que, ao querer fazer perguntas ao nível de equipas que "sabem as coisas mais estranhas" (Mas como é que vocês sabem isto?!, já dizia uma Golfinha), acabaram por cometer o pecado de quase só perguntarem "coisas estranhas" embora tão queridas aos seus interesses pessoais, mesmo que algumas fossem divertidas. Tenho a certeza que a intenção nunca foi criar um quiz-umbigo. Volto a frisar nesta crónica o que já disse em outras, organizar não é nada fácil e agradar a todos muito menos. Mas é possível que, de tantas vezes as Santas saírem frustradas do quiz que outros organizavam, (em muitas jornadas, por pouco que não passavam) acabaram por inconscientemente demonstrar essa mesma frustração.
Um último reparo. Nunca lhes vi em nenhuma ocasião, reclamarem ostensivamente como muitos fazem. Mesmo quando tinham fortíssimas razões para isso. Por isso, também não mereciam reclamações tão ostensivas, críticas tão duras ou mesmo sair da mesa e virar as costas. Oh meuz amigoz, carago!


Vamos lá à jornada.


De baixo para cima


Depois dos dois grandes deste ano tomarem a dianteira na parte escrita, que estranhamente não correu nada bem à maior parte das equipas, os Zbroings ganharam destacados o 1º nível e assumem a liderança logo seguidos pelos Mamedes e uma SAD absolutamente Indomável. NNAPED com uma desastrosa parte escrita e as primeiras três rondas a darem-lhe o 14º lugar e o espectro da eliminação, galgavam posições e passavam para 5º(!) no final das seis rondas. Grande Alcina! Para os derrotados desta ronda, as dúvidas na classificação geral final no ultimo terço da tabela ficavam todas definidas aqui. Qualquer uma delas, se fizesse um brilharete podia saltar para um lugar de "organização" para o ano. Mas, da forma como entraram, assim saíram e não houve alterações nenhumas. Num 1º nível que foi relativamente equilibrado na distribuição de pontos, só destoou mesmo os Lais da Carangueja que depois de se portarem bem na jornada anterior, viram-se gregos para achar a porta do paraíso das Santas. De resto, a maior surpresa foi a saída prematura dos Feios, Porcos e Maus que se puseram a jeito para perder o 8º lugar final. Os Defenestradores não conseguiram atirar ninguém da janela e os Golfinhos bem se podem queixar da parte escrita, dado que não foi por causa do 1º nível que não nadariam em frente. As grandes palmas da noite foram para o único representante dos Mineteiros, que sozinho foi impotente para contrariar o que se previa. Marcou presença, deu um ponto à sua equipa e conseguiu evitar um incómodo último lugar, na jornada. Grandes dúvidas pairam sobre eles. Conseguirão regenerar-se e marcar presença para o ano? A ver vamos.


Hibernação prematura


Com 6 pontos a separar o primeiro do último, entrava-se para o 2º nível com a sensação que tudo era possível. Mas não foi! Os três primeiros da jornada cavaram um fosso tão grande à volta dos outros que as restantes 7 equipas somaram menos pontos que os três primeiros. Uau! Que emoção! Ambité, BMV c/Laranja e Espertalhos que eram os últimos sobreviventes das equipas desfalcadas, bem choraram a falta desses elementos pois não foi possível chegarem à final. Os Espertalhos e BMV c/Laranja à entrada para esta ronda ainda sonhavam, qualquer um deles, em ultrapassar os FPM, mas acabaram por ver os NNAPED a pôr em perigo o que já tinham alcançado. Os Ambité, mais descansados nesse plano, sabiam que só se os Indomáveis terminassem nas duas primeiras posições é que arriscavam-se a perder o honroso 6º lugar, qualquer que fosse a sua classificação. Quase que entravam em choque, quando por um ponto se viram privados da final e viam os Indomáveis ao seu melhor nível a morderem-lhes os calcanhares. Calcanhares? Já estavam no cachaço!
Mas a grande desilusão desta jornada foi mesmo os Ursinhos Bobó. A margem para defender a medalha de bronze era muito curta (a mais curta entre os 7 primeiros) e sabiam que qualquer que fosse o resultado dos Zbroing, tinham que na pior das hipóteses ficarem um lugar imediatamente abaixo. Mas 9 finais dos Zbroing contra 8 dos Ursinhos ao longo do campeonato, ditou o posicionamento final, apesar das duas vitórias dos Ursinhos. E os Zbroing já nem precisavam da vitória, no final deste 2º nível. Foi a medalha de bronze mais discutida até hoje por duas equipas que apimentaram o campeonato, revelando-se os grandes outsiders com armas capazes de discutir o título, caso os Mamedes e os Fonix lhes tivessem dado essa oportunidade. Foram os Zbroing que chegaram ao podium mas os Ursinhos também teriam igualmente merecido.


Kalevala ou a arte de mais vale ficar calado



O título deste segmento diz tudo e por respeito aos restantes quatro Fónixs fixos, não vou mais aprofundar a questão.
Nesta ronda só deu Mamedes e Zbroings. À entrada para o último quilómetro destes 10 mil metros, os Indomáveis estoiravam e foi a andar que cortaram a meta no 3º lugar. Valeu-lhes o facto de Cavaleiros, Fónix e NNAPED estarem tão para trás que também não tinham forças para irem atrás deles. Foram, aliás os NNAPED que cortaram em 4º lugar (já não acontecia desde Abril de 2007) e subiram duas posições na geral terminando em 9º.
Mamedes é que sprintaram de tal forma que puseram em risco a vitória dos Zbroing. Os aviadores foram mesmo supersónicos. Um primeiro e segundo nível de grande categoria deram-lhes uma merecida vitória (a 2ª da história) e fez subir para quatro o número de equipas que ganharam este ano.


Sem ser um grande campeonato, acabou por ser melhor que os anteriores. Que o Campeonato de Quiz de Cascata de 2009 seja ainda melhor que este!


Feliz Natal!
.

11 comentários:

  1. Parabéns.

    FELIZ NATAL!

    Sants Noites.

    Não gostei, não pela classificação, mas pelos motivos já apontados.

    Valham as análises objectivas. O gosto é subjectivo.

    Que venham mais Noites no Lizarram e na Ajuda.

    Se o Quiz Júlio/ Tó Pascoalinho forem sem tabaco, contem comigo. Se não...............

    Comandante

    ResponderEliminar
  2. Miguel estás um mestre das crónicas.
    Quiz tó pascoalinho/Julio? Também quero ir e ng me diz nada??? Eu gosto de jogar!

    Johnny Bigodes

    ResponderEliminar
  3. Ó Bigodes, estavas muita distraído... Ou foi por teres chegado atrasado?
    Bom Natal e bons quizes.

    Já agora, gostaria de saber a razão por que um "a" a menos vale mais que uma troca de "l" por "r".

    Explica-se:
    - disse-se "kaarevala" - ERRADO!
    - disse-se "kalevala" - CERTO!

    Palavra correcta: KAALEVALA.

    Se o regor chegou ao "r", não se entende por que motivo não se exigiu o segundo "a" na sílaba inicial.
    Comandante

    ResponderEliminar
  4. http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Kalevala2.jpg

    ResponderEliminar
  5. ou até

    http://duckman.pettho.com/sc_story/d99078.html

    bastava ler o Tio Patinhas ;)

    Parem com o Kalevala, está certo e pronto. com `r` está errado e pronto.

    O que não impede que o jogo tenha sido mau (demais), e um perfeito tédio na terceira parte.

    Espero que as Santas Noites não desistam de jogar. Convém é não fazerem mais jogos... e pela classificação de 2008 não fazem mesmo.
    Críticas, de forma mais que telgráfica:
    a) Terceiro nível "injogável" e chaaato.
    b) Excesso de perguntas notoriamente tiradas da net, e notoriamente de sites de curiosidades.
    c) Primeiro nível breeega. Teve piada aquele rol de citações softcore?
    d) Dualidade de critérios, nos casos que geraram polémicas.

    ResponderEliminar
  6. Cheguei mesmo atrasado Comandante da Kaalevala!
    Mas fiquei contente por saber, que vou voltar a poder jogar quiz e não estar só a fazer. Só estranhei que o meu colega de equipa não me tenha informado, muito menos que havia prémios aliciantes e, esta parte interessa-me bastante, porque posso ganhá-los e ainda, esta é a parte melhor, convencer o dono do lizarran a melhorar os meus, o que só trará vantagem a quem joga. Os viciados passam a ter 3 espaços para jogar, já que o Dominio Publico, na Rua de Entrecampos também faz, e em zonas diferentes da cidade.

    Bom Natal

    Bigodes

    ResponderEliminar
  7. O Quinto Elemento22/12/08 22:34

    "Kalevala ou a arte de mais vale ficar calado

    O título deste segmento diz tudo e por respeito aos restantes quatro Fónixs fixos, não vou mais aprofundar a questão."

    Sem querer acicatar ânimos etc, pergunto-me:
    E o quinto elemento dos fónix? Não merece igual respeito??!
    Ora esta! Reclamei, como tantos outros fazem, por achar que o critério não foi justo. Tenho o direito à indignação!
    A nossa resposta até pode nem estar exactamente correcta, mas ao longo deste quiz outras foram aceites como correctas sem o realmente estarem na totalidade.
    Na realidade, estou muito pouco preocupada com com este tipo de coisas, que acho um bocado pequenas demais. Mas o desprezo e indiferença que foi dado ao nosso protesto quando, inicialmente, reclamámos fez-me "saltar a carica".
    Ora desculpem lá, mas não há pachorra para este tipo de coisas!!
    Independentemente das perguntas serem "boas" ou não, independentemente da organização ser "boa" ou não, ao menos que os critérios de decisão sejam iguais para todos!
    A organizãção, reconheço, não é nada fácil, mas os critérios já me parece ser uma coisa bastante mais linear e simples...
    Bem hajam e Feliz Natal!

    O quinto elemento

    ResponderEliminar
  8. "Ora esta! Reclamei, como tantos outros fazem, por achar que o critério não foi justo. Tenho o direito à indignação!"

    Pois claro que tem, cara amiga. Também eu e a minha equipa já o fizemos em circunstâncias semelhantes. Houve um problema em relação à dualidade de critérios neste quiz e a indignação com que muitos elementos de várias equipas se expressaram contra, tiveram a sua legitimidade. Uns mais que outros, provavelmente, dado que há sempre quem puxe a brasa à sua sardinha. Independemente da minha opinião pessoal, que nem a expressei, sobre a legitimidade da resposta do Kalevala, há sempre o direito a protestar, como vocês fizeram, quando alguém se sente injustiçado. Nunca, por nunca pus isso em causa.

    "(...)o desprezo e indiferença que foi dado ao nosso protesto quando, inicialmente, reclamámos fez-me "saltar a carica"."

    Aqui é que acho diferente. Não foi a natureza do protesto, mas sim a forma como ela escalou. Nisso tem que concordar que houve algum exagero. Até os seus colegas acabaram por se calar. Foi por isso, que dei aquele título mas também achei que não devia aprofundar. Mas, também numa noite de nervos à flor da pele, às vezes salta a tampa a qualquer pessoa. Portanto, não se aborreça tanto com isso, que minha a intenção nunca foi maldosa.

    Feliz Natal para todos!

    ResponderEliminar
  9. Sergei Kostov23/12/08 15:29

    Confesso que tinha expectativas altas para este quiz, talvez por ver na equipa das Santas, à imagem da minha, uma equipa que nisto mais pelo gozo da coisa do que pelos objectivos de glória quizzistica, a que aspiram legitimamente outras formações.
    No entanto, não saí da Academia satisfeito e não tem nada a ver com não ter chegado ao terceiro nível que, pelo que li, também não foi consensual.

    A parte escrita não desiludiu, mas logo no 1º nível torci um pouco o nariz. A cascata temática de citações generalistas contribuiu para q continue a não apreciar cascatas temáticas de enfiada (sendo mais fácil fazê-la na mesma, mas intervalada entre cascatas). As perguntas oscilantes na dificuldade, também não ajudaram, mas o empenho/boa disposição dos anfitriões foi ajudando.

    No 2º nível, fiquei com a nítida sensação que os temas não ficaram bem distribuídos, nomeadamente também no grau de dificuldade, o que me levou a verificar que, salvo erro, para duas ou três equipas saiu um lote de perguntas bem mais difíceis do que para outras, para além de alguma inconsistência temática, com alguns temas com mt maior destaque do q outros.

    Talvez nalguns casos tenham caído naquela armadilha fácil que é fazer perguntas mais puxadas em termas que nos são familiares e tomar como difíceis temas que não dominamos, o que gera perguntas mais fáceis. O que depois não contenta a sempre exigente plateia...

    De qq forma, faço votos que as Santas continuem, neste molde de equipa ou associadas, whatever, porque são uma equipa com espírito daquilo que deve ser um quiz e essas fazem sempre falta

    ResponderEliminar
  10. Miguel.... és um espectaculo!!!

    mas agora...e a 5 horas de nascimento de cristo(sim, dá-se na catequese) que tenhas tu...e todos nós quizeres um Natal fantástico!!

    voces sao os maiores!

    carlos santos

    ResponderEliminar
  11. Resumindo numa frase: pior que este quiz, só o dos Ursinho e o dos Mineteiros.
    Bom Natal, e um bom 2009 para todas as equipas
    Vasco dixit!

    ResponderEliminar

Mostra o SunTzu que vive em ti e comenta com garra.